quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Bomtempo pede recursos ao governo federal após decretar situação de emergência em consequência das chuvas



O prefeito Rubens Bomtempo decretou nesta terça-feira (15/11) situação de emergência em consequência das chuvas na cidade. Desde sexta-feira, a Defesa Civil do município registrou 74 ocorrências. A mais grave foi registrada pouco antes das 23h de segunda-feira (14/11) na Rua Uruguai, no Quitandinha, onde houve o desplacamento de uma face da Pedra do Quitandinha de uma altura de aproximadamente 200 metros, fazendo deslizar mais de mil toneladas de pedras e terra. O deslizamento de grandes proporções não foi influenciado por ação humana. Três casas foram completamente destruídas e outras duas foram parcialmente atingidas. Duas pessoas morreram. Um trecho de 100 metros da Rua Uruguai foi isolado, e os moradores orientados a seguir para locais seguros.

Bomtempo está embarcando para Brasília, onde já tem agendada uma reunião com o secretário executivo do Ministério das Cidades, Luciano Oliva Patrício, e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho. O prefeito levará pessoalmente ofício solicitando recursos para a realização de obras de contenção na região, assim como vem sendo feito em outras 14 localidades consideradas de risco na cidade. Elas estão passando por intervenções por meio do PAC Encostas, programa de prevenção que garante recursos para execução de obras de contenção. Em Petrópolis as obras foram divididas em três lotes. Entre as já concluídas ou em fase avançada estão as obras do Vale do Carangola, Capitão Paladini, Rua Antônio Soares Pinto, Rua Alexandre Fleming, Henrique Paixão, , Comunidade do Neylor e Brigadeiro Castrioto.

“Sabemos que Petrópolis é, até por suas características geográficas, uma cidade mais vulnerável a desastres naturais. Esse é nosso ponto mais sensível. A decretação de situação de emergência acende o alerta para os governos federal e estadual, que precisam participar diretamente do trabalho para tornar a cidade mais segura. Estamos ainda no início do período de chuvas e já registramos um ocorrência dessas proporções. O Pacto Federativo foi rompido e, especialmente neste momento, precisamos lembrá-los de que Petrópolis é uma prioridade nesta área. A cidade precisa ser enxergada desta forma”, afirmou o prefeito, que, desde a ocorrência, acompanhou de perto todo o trabalho da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros, que atuaram com a colaboração de órgãos de segurança e de trânsito e se reuniu, junto a técnicos da Prefeitura e da Secretaria de Defesa Civil, com moradores da região.

A Defesa Civil da cidade opera em estágio de atenção e a maior preocupação é com novas pancadas de chuva, já que o índice pluviométrico acumulado alcança, em alguns pontos da cidade, como o São Sebastião, quase o dobro do volume esperado para essa época em período de 30 dias. O secretário de Defesa Civil e Segurança Pública, Rafael Simão, lembra que o solo encharcado perde a capacidade de absorção da água, o que contribui para escorregamentos. “Temos, hoje, o sistema de alerta e alarme, que é acionado de acordo com protocolos que indicam uma maior probabilidade de deslizamentos, mas é importante que, em caso de chuva forte, moradores de áreas de risco se dirijam a locais seguros, até mesmo antes do acionamento das sirenes”, lembrou.

É fundamental que moradores jamais permaneçam em imóveis ou áreas já interditados pela Defesa Civil. Esses moradores devem procurar local seguro, como casas de amigos ou parentes que não fiquem em áreas de risco. No caso de qualquer sinal de instabilidade na casa ou no terreno, o morador deve ligar para o telefone 199 e pedir uma vistoria preventiva da Defesa Civil. A ligação e o serviço são gratuitos.

Nenhum comentário: