Nenhum avanço nas negociações e paralisação dos bancários segue por tempo indeterminado


As negociações entre bancários e Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) não teve nenhum avanço nesta terça-feira (13). A entidade manteve a proposta de sexta-feira (9), que já tinha sido rejeitada pelos trabalhadores. Com isso, a negociação foi suspensa e deve ser retomada amanhã (15), em São Paulo (SP), às 16h.

A proposta da Fenaban de 7% de reajuste salarial e um abono de R$ 3,3 mil. A oferta é um pouco maior do que a inicial (6,5% mais abono de R$ 3 mil), mas não agrada aos bancários. Eles querem 14,7% de reajuste – inflação mais aumento real de 5%.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Petrópolis (SindBancários), Marcos Alvarenga, a insistência na proposta já rejeitada anteriormente após três dias é um “desrespeito” com a categoria.

– Essa insistência é extremamente ruim. Quando foi colocada na sexta-feira uma nova data de negociações, a gente esperava viriam com uma melhoria na proposta. Mas depois de demorar três dias para poder pensar e não vir nenhuma mudança é desrespeito – disse.

A Fenaban acredita que “o modelo de aumento composto por abono e reajuste sobre o salário é o mais adequado para o atual momento de transição na economia brasileira, de inflação alta para uma inflação mais baixa”.

Nesta terça, o número de agências fechadas e de funcionários paralisados foi o mesmo do primeiro dia de negociações: 22 (sendo 12 do Itaú, seis do Banco do Brasil e quatro da Caixa Econômica Federal) e 431, respectivamente.

Vale lembrar que os clientes podem usar os caixas eletrônicos, lotéricas e até mesmo o Banco Postal (Correios). Mas a greve, como não poderia ser diferente, atrapalha algumas pessoas que não estão habituadas a fazer o atendimento por conta própria. Foi o caso da cabeleireira Jéssica Lopes, que não estava conseguindo realizar um depósito.

– Eu não costumo vir ao banco. Vim hoje, mas já me deu dor de cabeça. Não consegui fazer um depósito. Quando tem que fazer alguma coisa, no caixa é melhor, mas fácil – comentou ela.

Já o autônomo Leonardo Medeiros acredita que os clientes precisam se acostumar com a ideia fazer tudo sozinho.

– No futuro, as agências físicas vão acabar, o banco vai ficar cada vez mais eletrônico. Hoje é fácil resolver qualquer coisa pela internet ou no caixa eletrônico – disse.


NÚMEROS

Negociação

14,7%

Pedido dos Bancários: inflação (9,7%) + aumento real (5%) 

6,5% + R$ 3 mil

Primeira proposta da Fenaban: reajuste + abono

7% + R$ 3,3 mil

Segunda proposta da Fenaban: reajuste + abono 

Via Diário
Rômulo Barroso