domingo, 25 de setembro de 2016

Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação em Petrópolis


Pais e mães compareceram ontem com as crianças aos 18 postos de saúde de Petrópolis onde ocorreu o Dia D de Multivacinação, parte da campanha da multivacinação de crianças e adolescentes. O motivo da mobilização é incentivar as pessoas a atualizarem a caderneta de vacinação dos filhos com menos de cinco anos ou entre nove e 15 anos.

No Centro de Saúde Coletiva, o movimento foi calmo, ao contrário do início da semana, quando a campanha havia lotado os postos de vacinação. Segundo funcionários do local, isso se explica porque, durante a semana, também ocorria vacinação de crianças que não estavam atrasadas na caderneta. Não existe estimativa da quantidade de crianças e adolescentes atendidas.

Uma das mães que compareceram à unidade no sábado é Rose Ferreira, que foi vacinar a filha de um ano e seis meses de idade, que só precisou tomar uma vacina.

- Ela tem um quadro de bronquite, e por isso às vezes a vacina atrasa. Essa vacina ela só pode marcar para hoje – explicou.

Outras pessoas foram ao local apenas para confirmar se tudo estava em dia na caderneta de vacinação. A costureira Sílvia Letícia, por exemplo, descobriu que não precisava vacinar o filho, que estava tranqüilo na fila da vacinação. Perguntada, Sílvia disse que a criança não tem medo de injeção, porque já passou por procedimentos médicos.

Para saber se é necessário atualizar a vacinação é importante levar a caderneta. É por ali que será analisado qual vacina ainda não foi aplicada. No caso de perda da caderneta, a orientação é ir ao posto de saúde para receber a melhor orientação e levar um documento de identidade da criança.

A coordenadora de epidemiologia, Cláudia Mara, havia dito ao Diário que a principal preocupação é a baixa procura por vacina contra o HPV (câncer de colo de útero). A falta de procura por essa vacina é um problema que ocorre em todo país e se repete no município. São duas doses, aplicadas em meninas de nove a 13 anos, com intervalos de seis meses entre um e outra.
14 vacinas da campanha

A campanha de multivacinação se aplica às seguintes vacinas: Hepatite A; VIP (poliomielite / injetável); Meningocócica C; Rotavírus; HPV; Pneumo 10; Febre amarela; Varicela; Pentavalente; Tetraviral; Dupla adulto; DTP (difteria, tétano e coqueluche); Tríplice viral; VOP (poliomielite / oral)

Mudanças no calendário de vacinação

Em janeiro deste ano, o Ministério da Saúde alterou o esquema vacinal de quatro vacinas: poliomielite, HPV, meningocócica C (conjugada) e pneumocócica 10 valente.

A imunização contra a poliomielite passou a ter três doses da vacina injetável (2, 4 e 6 meses) e mais duas doses de reforço com a vacina oral. Até 2015, o esquema era de duas doses injetáveis e três orais.
Já a vacinação contra o HPV passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses entre elas para meninas saudáveis de 9 a 14 anos. Meninas de 9 a 26 anos que vivem com HIV devem continuar recebendo o esquema de três doses.

No caso da meningocócica C, o reforço, que era administrado aos 15 meses, passou a ser feito preferencialmente aos 12 meses, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras duas doses continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

A pneumocócica teve redução de uma dose e passou a ser administrada em duas (2 e 4 meses), com um reforço preferencialmente aos 12 meses, mas que pode ser recebido até os 4 anos.

Via Diário / Eric Andriolo

Nenhum comentário: