Carro da Cia de Cigarros Souza Cruz é assaltado em Itaipava



A empresa fabricante de cigarros Souza Cruz teve um furgão assaltado na tarde de ontem (21) em Itaipava. A polícia não havia conseguido contabilizar o tamanho do roubo e o valor total, mas a estimativa era de que cerca de 500 maços tenham sido levados. Ninguém foi preso porque os criminosos fugiram após o alarme do veículo ter sido disparado.

De acordo com a 106ª DP, em Itaipava, o carro foi abordado na Estrada União e Indústria, próximo ao “Arranha-Céu”, enquanto fazia uma entrega em um bar. Um homem com uma pistola desceu de um Citroën C4, abordou o motorista da Souza Cruz mandando abrir a porta e seguir viagem. Ele mandou o funcionário entrar na rua ao lado do Shopping 2000. Como essa estrada atrás do shopping é de barro, o furgão não andou muito.

Pouco tempo depois, o assaltante mandou o funcionário da Souza Cruz abrir a porta do compartimento onde estava a carga, mas o motorista informou que não poderia porque o carro é rastreado e estava fora da rota. O criminoso desceu do furgão, foi até um segundo carro que auxiliava no roubo, uma Frontier, pegou um pé de cabra e arrombou o veículo. Nesse momento, o alarme foi acionado, o que assustou os criminosos. Eles roubaram boa parte da carga transportada, mas fugiram sem conseguir roubar tudo e antes da polícia chegar. Ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Civil, o motorista de 42 anos não é de Petrópolis. Ele trabalha para a base da empresa em Três Rios, mas costuma fazer entregas na região onde foi abordado. No entanto, nunca havia sido assaltado. A empresa é vítima constante de roubos. Desde 2000, já foram registrados mais de 20 assaltos. O último foi no ano passado, no Bingen.

A Polícia Civil vai pedir imagens de câmeras das praças de pedágio da Concer em Areal e em Duque de Caxias para saber se ele estava sendo seguido desde a BR-040. A suspeita é de que pelo menos quatro pessoas tenham participado do crime. O homem que abordou o funcionário da empresa usava uma blusa com capuz, algo que atrapalha na identificação.

fonte: Diário de Petrópolis

Comentários