Paciente reclama da falta de remédio para esclerose múltipla em Petrópolis



Pacientes com esclerose múltipla em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, não estão conseguindo o medicamento para tratar a doença. O remédio é distribuído pelo Ministério da Saúde, mas não tem chegado ao município. A jornalista Rosane Botelho tem a doença há seis anos e depende do Avonex para conseguir fazer atividades de rotina.

“Eu sigo um tratamento regrado. Desde 2010, quando comecei o tratamento, nunca tive problema de falta de tratamento, mas nos últimos seis meses tem acontecido”, disse Rosane.

Antes de começar a terapia, Rosane tinha dificuldades de locomoção, mas com o tratamento já participa até de corridas de rua.

“A dificuldade dela era correr, coordenar o movimento, pegar uma garrafinha. Algumas coisas fiz devagar e outras fui negociando com ela, para atingirmos nosso objetivo”, explicou o fisioterapeuta Henderson Sivero.

No entanto, mesmo com todo o esforço da paciente nos treinos, sem o remédio específico para a doença, os sintomas se agravam. A jornalista conta que, recentemente, chegou a ficar 31 dias sem a medicação. Segundo ela, o remédio é caro e não é vendido na maioria das farmácias. Sem ele, a paciente chega a ter convulsões. 

“Quando eu tenho um surto da esclerose eu tenho perda da visão e muitas dores de cabeça. Tenho danos, tenho lesões, mas não sei até quando a minha visão vai voltar. É preocupante”, disse Rosane.
Em nota, o Ministério da Saúde disse que o envio do medicamento betainterferona 1A de 30mcg está regularizado no Estado do Rio de Janeiro. Foram enviadas de 2.684 seringas preenchidas de betainterferona 1A de 30mcg para o atendimento no segundo trimestre de 2016 durante o mês de abril.

“A pasta realiza a aquisição do medicamento de forma centralizada por meio do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF) e envia o medicamento aos estados trimestralmente. Cabe aos Estados, Distrito Federal e os municípios a responsabilidade pelo armazenamento, controle de estoque e prazos de validade, distribuição e dispensação”, disse trecho da nota.

Já o governo estadual e a Prefeitura afirmaram que o medicamento chegou ao município nesta quinta-feira (16). A cidade tem seis pacientes com a doença cadastrados para receber o medicamento.

Fonte: G1