10 motivos para que o PSDB apresente candidatura própria a prefeito de Petrópolis, por Ramon Mello



Voltando do descanso de quase três semanas longe da política municipal imposto por uma gripe, me deparo com a notícia sobre a pré-candidatura do advogado Henry Grazinoli à prefeitura pelo PSDB.

Mesmo tentado a estudar a hiperatividade da tucanada nas terras de Pedro II, partido que mais lançou e retirou pré-candidaturas no pequeno e adorado planeta azul, é impossível não dar destaque a tal notícia. 

Ferd Procópio, presidente do PSDB municipal e Henry Grazinoli, ex-procurador do município e interventor das empresas de ônibus, não confirmam, mas corre nos bastidores que a notícia atiçou o “mercado de pré-candidatos a vice-prefeito”. Afinal, quem não gostaria de ter em sua chapa um nome respeitado e, respaldado, pela direita que reina absoluta na Cidade Imperial. 

Em tempo, recebi ontem um e-mail de uma das lideranças do partido no município, Ramon Mello, vice-presidente Regional do PSDB, listando 10 motivos para o partido ter candidato a prefeito em Petrópolis, confira na íntegra:

''Em boa hora, o PSDB retoma a discussão sobre a candidatura própria. Continuo disposto e penso que a entrada do nome do professor Henry Grazinoli neste debate soma e é salutar. Assim, como sempre defendi essa posição argumento com 10 motivos para que o PSDB apresente candidatura própria a prefeito de Petrópolis. 1 - O PSDB tem nos seus quadros uma quantidade imensa de pessoas com capacidade técnica para fazer um governo que seja eficiente, ético e transformador;
2 - O PSDB é um dos poucos partidos que tem condições de apresentar modelos de gestão que deram certo no Brasil. Seja nos municípios, estados ou, até mesmo, no governo federal;
3 - A crise econômica que assola o país e o estado do Rio de Janeiro requer que o próximo governo municipal seja de austeridade e tenha criatividade para superar a crise. O PSDB pode proporcionar esse dois vetores;
4 - O PSDB tem nomes que não são dependentes financeiramente, menos ainda, politicamente a qualquer grupo político. As decisões no governo do PSDB em Petrópolis serão submetidas exclusivamente ao povo petropolitano;
5 - Há também uma crise moral generalizada. O próximo prefeito de Petrópolis deverá ter um passado íntegro, sem máculas. Que o candidato tenha em suas condições atuais autonomia, liberdade e ousadia para apontar caminhos para Petrópolis. Sem concessões à demagogia irresponsável. Todos esses requisitos os postulantes do PSDB têm de sobra;
6 - O PSDB venceu praticamente todas as eleições presidenciais em Petrópolis. No último pleito, o candidato tucano obteve mais de 60% dos votos no município. É nítida a identificação dos petropolitanos com o partido. O PSDB é o corpo e a alma de Petrópolis!
7 - Existe um enigma sobre o PSDB colher bons resultados para os seus candidatos à presidência da República e ter resultados pífios nas eleições municipais em Petrópolis. A solução é simples, candidatura própria! Só reverberando o 45 que poderemos ter sucesso em Petrópolis;
8 - As últimas pesquisas internas, feitas pelos nossos adversários, apontam um índice de mais de 55% de indecisos para as próximas eleições. Está claro que o petropolitano quer uma alternativa diferente do quadro que esta posto;
9 – A quantidade de indecisos, somado ao fato de que nas últimas eleições municipais tivemos mais de 72 mil votos entre brancos, nulos e abstenções, demonstra o retrato claro da falta de alternativa para os petropolitanos nas eleições;
10 – Finalmente, o PSDB está pronto para o julgamento dos petropolitanos. É hora dos tucanos levantarem voo, mas não apenas, também temos plano de voo. Por isso, o PSDB tem a humildade suficiente para reconhecer a grandeza de Petrópolis. Sigamos em frente. Avante, tucanos!''