quarta-feira, 13 de abril de 2016

Mais de 12 mil meninas devem ser vacinadas contra o câncer de útero em Petrópolis



Meninas entre 9 e 13 anos de idade – mais de 12 mil em Petrópolis - devem procurar o Instituto da Mulher, da Criança e do Adolescente (antigo Centro de Saúde) ou os postos de saúde no município para se imunizarem contra o câncer de colo de útero. Uma campanha iniciada neste mês pelo Ministério da Saúde alerta jovens, pais e responsáveis sobre a prevenção contra o vírus HPV, principal vetor da doença, com a vacina já incluída no calendário de vacinação. A mobilização é resultado da iniciativa do Estado do Rio, o primeiro a instituir o programa de vacinação através da Lei 6.060/11 de Bernardo Rossi e Rafael Picciani, ambos deputados estaduais licenciados.

“A vacinação pode ser feita a qualquer momento do ano, mas até abril reforçamos a importância dessas meninas se imunizarem contra uma doença que mata 5 mil mulheres por ano, com mais de 15 mil novos casos no mesmo período. A vacina tem 98% de eficácia e é de graça. Basta procurar o posto de saúde mais perto”, aponta o deputado estadual licenciado Bernardo Rossi.

Com o slogan “Proteja o futuro de quem você ama”, a campanha nacional tem o objetivo de reforçar a importância da imunização nas meninas de 9 anos e também no grupo de 10 a 13 anos que ainda não tomou a primeira dose da vacina ou não completou as duas doses necessárias para a imunização. No estado do Rio, 118,4 mil meninas de 9 anos devem receber a primeira dose da vacina.

O câncer de colo de útero é o terceiro tipo que mais mata mulheres no Brasil. A imunização agora é feita em apenas duas doses, a segunda seis meses após a primeira, e mais de 380 mil já foram aplicadas no estado do Rio desde 2014, quando a campanha foi oficialmente lançada. Mais de 4,5 milhões de adolescentes foram imunizadas nesse período.

“Receber a vacina na adolescência é a melhor forma de prevenção contra quatro subtipos da doença, mas ainda falta conscientização sobre a real necessidade da vacinação. Por isso os pais e responsáveis devem levar as meninas ao posto mais próximo, garantindo que elas cheguem à vida adulta livres do vírus que causa uma doença dolorosa. O câncer do útero pode e deve ser prevenido”, observa Bernardo Rossi.

Nenhum comentário: