domingo, 10 de abril de 2016

Impeachment: Cristiane Brasil (PTB) é radicalmente a favor, Hugo Leal (PSB) se mostra indeciso



Por Rômulo Barroso: Esta será uma semana decisiva no processo de impeachment que a presidente Dilma Rousseff enfrenta no Congresso. Na segunda-feira (11), a comissão especial na Câmara que analisa o pedido de afastamento dela vai votar o relatório feito pelo deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO), que pede o envio do processo para o Senado. Já domingo (17), deve acontecer uma sessão especial do plenário para tomar a decisão final.

Os deputados ligados a Petrópolis, Cristiane Brasil (PTB) e Hugo Leal (PSB) não fazem parte da comissão do impeachment, mas vão analisar em plenário. A primeira se posiciona radicalmente a favor do impedimento de Dilma continuar na presidência. Já o ex-vice-líder do governo se mostra indeciso.

“Há meses tenho a mesma posição e continuo convicta de que o melhor para a retomada político-econômica do Brasil seja o impeachment” Cristiane Brasil (PTB) – deputada federal

As apostas sobre o resultado da votação são muitas. O movimento “Vem Pra Rua”, um dos que mobilização a população em protestos contra a presidente Dilma, criou o “Mapa do Impeachment” e indica que 277 deputados são a favor do pedido, 122 são contra e 114 estão indecisos. Já o jornal “Estado de S. Paulo” atualiza diariamente o “Placar do Impeachment”, que mostra 284 votos de apoio, 114 de rejeição e 115 entre os que não sabem ou não responderam. Vale lembrar que para se enviado ao Senado para continuidade do processo, o pedido tem que receber 342 votos (dois terços da Câmara dos Deputados) – já para barrar, Dilma precisa de 172 votos (mais que um terço).

Opiniões

Presidente nacional do PTB, um partido que posiciona de maneira independente em relação ao governo, Cristiane Brasil se mostra pessoalmente desde o início do mandato de deputada federal como oposição a Dilma. Não à toa se colocou entre aqueles que considera que a saída da petista do Executivo Nacional pode colocar o País nos eixos.

– Há meses tenho a mesma posição e continuo convicta de que o melhor para a retomada político-econômica do Brasil seja o impeachment. Não acredito que a presidente Dilma Rouseff tenha mais condições de conduzir o País e seu desgaste político tem prejudicado cada vez mais a sociedade que sofre com aumento do desemprego, desvalorização da moeda e altos juros – pensa a deputada.

Se o voto dela já é declarado, não é possível saber qual será a decisão de Hugo Leal. Enquanto integrante do Pros, ele era vice-líder do governo. Agora está no PSB, um partido que não faz parte da base de Dilma. Mas a mudança de ares não tirou dele a opinião de que o governo é ruim.

“Tem que ter fundamento jurídico. Atualmente, não enxergo isso, mas podem vir outros fatos. Nesse momento, eu não sou a favor, mas não descarto essa possibilidade” Hugo Leal (PSB) – deputado federal

– Vou acompanhar o que entender que é bom para o país. O que acontece é que o modelo de governo cansou, há fadiga material. Quando vou para o PSB, não estou fugindo da base, minha base é o país, minhas falas são em cima de temas importantes para o país. E o PSB não é oposição radical, mas tem uma postura firme de partido que já teve candidato a presidente – afirma Leal.

O peessebista rejeita o argumento de que o processo de impeachment seja “golpe”, mas lembra que é preciso que exista um crime de responsabilidade para o andamento. Já a petebista não têm dúvidas de que as “pedaladas fiscais” e a abertura de créditos suplementares autorizados por Dilma incorrem como crime.
– Não é golpe, é constitucional. Não é a primeira vez que aconteceria e também houve pedido de impeachment de Fernando Henrique Cardoso. Tem que ter fundamento jurídico. Se houver fato, vai ser julgado por esse fato. Mas não pode ser por impopularidade, tem que haver uma prova irrefutável. Atualmente, não enxergo isso, mas podem vir outros fatos. Nesse momento, eu não sou a favor, mas não descarto essa possibilidade – coloca Hugo Leal.

– Muitas são as razões dos pedidos de seu afastamento e, recentemente, tivemos uma vitória com o voto favorável do relator Jovair Arantes pela admissibilidade do processo de impeachment, por conta de indício de crime de responsabilidade nas pedaladas fiscais e abertura de créditos suplementares – diz Cristiane Brasil.

Números
Impeachment
Vem Pra Rua ¹
A favor: 277
Contra: 122
Indecisos: 114
Estadão ²
A favor: 284
Contra: 114
Indecisos: 63
Não Responderam: 52
¹ Fonte: Mapa do Impeachment
² Fonte: Placar do Impeachment

FONTE: DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

Nenhum comentário: