Petrópolis se destaca no ranking de desmatamento no Estado do Rio



Os petropolitanos estão denunciando com freqüência os crimes ambientais. O Disque Denuncia do Linha Verde, ONG que trabalha em parceria com o estado, garante que a cidade tem um dos maiores índices de comunicados sobre casos envolvendo principalmente desmatamentos. Ao todo, a entidade recebeu apenas em 2015, cerca de 2 mil denúncias em todo o Rio de Janeiro. Só na Cidade Imperial foram 170. O número é considerado elevado, pois em 2014 foram menos da metade e o estado conta com 92 municípios. A informação foi passada ao Diário, após noticiar no último dia 11 deste mês o corte indiscriminado de árvores em Itaipava, registrado na delegacia do distrito.

Apesar do grande fluxo de informações passadas à ONG, o número ainda é considerado baixo, pois muitos não têm conhecimento que os crimes contra o meio Ambiente, não são só caracterizados pelo corte irregular de árvores.

Caso chamou atenção

No último dia 11 de março, quatro pessoas foram autuadas por desmatar centenas de árvores em um terreno na Estrada do Gentio, no Vale das Araucárias, em Itaipava. Os quatro homens estavam abusando de uma licença ambiental emitida pela prefeitura que permitia o corte de cinco árvores para a construção de uma casa. Mas, o que a Polícia encontrou foi desmatamento desenfreado e nenhuma construção à vista. Os policiais ficaram sabendo da infração por meio de denúncias.

Quando os agentes chegaram ao local, havia pelo menos 30 eucaliptos naturais de grande porte cortados, além de centenas de troncos de árvores menores que estavam prontos para o transporte. Duas motosserras foram apreendidas. O caso está registrado na 106ª DP, em Itaipava.

No ano passado, tendo ciência do número denúncias feitas à entidade e casos como este, a coordenadora do Disque Denúncia, Adriana Nunes, percorreu o estado com campanhas, palestras e capacitações.

O objetivo é fazer com que os moradores conheçam e denunciem os atos ilícitos ao Linha Verde. Na oportunidade, alem de falar sobre os projetos e informou que Cerca de 40% das denúncias são referentes ao crime de maus-tratos contra animais. Em 2015, a equipe da Linha Verde identificou crescimento de ligações sobre comércio ilegal e captação irregular de água por meio da perfuração de poços artesianos.

- Muitos crimes ambientais estão associados à atividade econômica, por isso temos percorrido as cidades para orientar a população – disse.

O Linha Verde, projeto do Disque Denúncia específico para denunciar crimes ambientais. A ONG solicita que toda a população de Petrópolis que continue denunciando crimes ambientais através do telefone 0300 253 1177(custo de ligação local). O anonimato é garantido ao denunciante.

Instituto Civeis sobre os crimes ambientais

Além do Linha Verde, o Instituto Civies, representado por Mauro Corrêa, também procurou o Diário. Assim como em outras oportunidades, ressaltou que não existe fiscalização e por isso crimes como estes seguem acontecendo a todo o momento na cidade.

- A secretaria de Meio Ambiente não faz muita coisa. As licenças são emitidas e não acredito que tudo seja fiscalizado após a emissão do documento. O correto é tirar foto e registrar como era e o que está sendo feito – disse Mauro.

Ainda segundo Mauro, desde 2001, quando a lei de Compensação Ambiental foi criada, cerca de 200 mil mudas foram passadas à secretaria, no que se refere aos empresários e cortes feitos pela cidade.

- Nunca tivemos informações sobre o destino destas mudas, o que foi feita com elas. Apenas uma vez, em uma semana do Meio Ambiente que vimos algumas delas serem plantadas. Mesmo assim, não acredito que tenham recebido o acompanhamento devido, que tem que ser no mínimo de 2 anos – disse.

Secretaria da garantias de procedimento ser feito corretamente

Em outras ocasiões, a Secretaria de Meio Ambiente já esclareceu e esclarece que e a doação de mudas são constantes, sendo todos os procedimentos registrados pela Secretaria. As mudas recebidas são fruto de Termos de Compromisso Ambiental, firmados com construtoras. As doações são realizadas de várias formas: diretamente à população, nas ações sociais realizadas pela Prefeitura, com média de 350 mudas doadas por evento; em acordos de reflorestamento com o

Ministério Público estadual – somente no Vale do Cuiabá no último ano foram 7.500; distribuição permanente para as escolas, para atividades com os estudantes; e para outros órgãos que solicitam mudas por meio de ofício.

Fonte: Diário de Petrópolis 
Bernardo Rocha