TROTES REPRESENTAM 15% DAS CHAMADAS DO SAMU EM PETRÓPOLIS E REGIÃO



A Secretaria de Saúde divulgou esta semana um balanço das chamadas feitas para o 192 – destinadas ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Os números revelam um dado preocupante: o aumento da quantidade de trotes. Em 21 meses de funcionamento, o Samu recebeu 7.621 chamadas deste tipo. No ano passado, 15% das ligações feitas ao número 192 foram trotes.

“Os trotes causam prejuízos à população e prejudicam o serviço realizado pelo Samu. Por causa dessa brincadeira, as linhas ficam sobrecarregadas e pessoas que necessitam de atendimento podem não conseguir contatar o Samu. Além disso, por causa das falsas solicitações, ambulâncias são deslocadas desnecessariamente, onerando os cofres públicos e, eventualmente, deixando de atender quem realmente precisa. Esse tipo de brincadeira de mau gosto pode colocar em risco muitas vidas que precisam de atendimento”, disse o secretário de Saúde, Marcus Curvelo.

Em 2014, o Samu recebeu 20.653 chamadas, dessas 3.608 foram trotes. No ano passado, foram 26.791 ligações, sendo 4.013 trotes. “Quando identificamos que a chamada é de uma criança e foi feita de celular, por exemplo, retornamos a ligação e alertamos o adulto dono do aparelho. Quando identificamos as ligações vindas dos orelhões ligamos de volta, falando o nome da rua e o município para mostrar que as ligações são gravadas e podemos rastrear”, explicou a coordenadora do Samu, Patrícia Levefre.

As chamadas para o 192 são atendidas pelos TARMs (Técnicos Auxiliares de Regulamentação Médica), que, em alguns casos, conseguem identificar os trotes. Quando a informação falsa não é percebida, os TARMs transferem a ligação para o Médico Regulador, que dá continuidade ao atendimento. Há casos em que o médico consegue identificar o trote, no entanto, quando isso não ocorre, a ambulância é acionada e o trote só é descoberto quando a equipe de socorristas chega ao local. 

Além de Petrópolis, a Central de Regulação do Samu-Serrana, atende também os municípios de São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Carmo, Guapimirim, Cantagalo e Cachoeiras de Macacu. O serviço começou em abril de 2014.