Vereadores são impedidos de fiscalizar a UPA Centro e chamam a polícia




Na manhã desta quinta-feira (03.12), os vereadores Gilda Beatriz, Silmar Fortes e Paulo Igor, foram impedidos por seguranças da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Centro, de fiscalizar a unidade.

“Hoje (03/12), estive através da Comissão de Saúde, ao lado de seu presidente e o presidente da Câmara na UPA Centro para fiscalizar o atendimento e ter a certeza que a ordem judicial da 4ª Vara Cível que proibiu a prefeitura de fechar as UPAs sob pena de multa de R$ 1 milhão iniciais e mais R$ 100 mil por cada dia de paralisação do atendimento, está sendo cumprida. Para minha surpresa e indignação, a EQUIPE DE SEGURANÇA DA UNIDADE IMPEDIU NOSSA ENTRADA visando a fiscalização e pleno exercício de meu mandato. A COORDENADORA DA UPA CENTRO ALEGOU TER RECEBIDO ORDENS DIRETA DO PREFEITO. Um verdadeiro absurdo! Fomos obrigados a acionar a polícia. Em meio a esse impasse, chegou o Procurador do Município e a força policial logo depois, e assim conseguimos entrar na Unidade Pronto Atendimento. Fiscalizar é meu dever como vereadora e vice-presidente da Comissão de Saúde, não vou me omitir e muito menos faltar com meu compromisso com a população. A independência entre os poderes precisa ser respeitada. Deixo aqui meu repúdio a tal atitude. Continuarei fiscalizando doa a quem doer”, comentou a vereadora Gilda Beatriz. 

O governo municipal ainda não divulgou nota oficial sobre o caso. 

Comentários

Anônimo disse…
Isto verdadeiramente mostra a falta de transparência nas contas do prefeito que hoje dentro das unidades não se encobntram medicamentos e insumos básicos para o funcionamento.