Vereadores da base do governo Bomtempo conseguem barrar verbas para custeio das UPAs



“A Câmara Municipal é o quintal do governo Bomtempo”, de outra maneira não existe explicação para tamanha inércia de pelo menos dez vereadores durante todo mandato.

Na  última terça (08/12), mais um capítulo da crise petropolitana ganhou cor, a base do governo derrubou o projeto que autorizaria a Secretaria de Saúde a usar sobras da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) para custeio das UPAs. Nove vereadores votaram contra a inclusão do projeto para análise do plenário, aliviando o poder executivo de mais um desgaste. Dessa maneira, o projeto segue em tramitação na Câmara.

O projeto de autoria do vereador Anderson Juliano propõe autorizar o governo municipal a usar 50% do superávit (dinheiro arrecadado a mais, ou sobras) da CIP em 2014 para cobrir as necessidades de despesas orçamentárias apenas desse ano. Quatro vereadores votaram a favor do projeto: Anderson Juliano, Gilda Beatriz, Silmar Fortes e Paulo Igor.

Mesmo o líder do governo, vereador Thiago Damaceno, não soube informar o quanto foi à diferença entre a arrecadação e o investimento da contribuição. Mas estima-se que esse valor  fique em torno de R$ 5 milhões. Metade desses recursos, R$ 2,5 milhões poderia ser utilizado para pagamento de salários dos funcionários das Unidades de Pronto Atendimento.

Mesmo sendo uma questão de extrema importância, alguns vereadores reclamaram sobre a falta de parecer jurídico, outros alegaram que o projeto é inconstitucional.
Muitas palavras, desculpas extensas e pouca vontade de retirar o governo Bomtempo sua principal “fonte de capas” de jornais nos últimos meses, a crise nas UPAs.

Como está é uma página pessoal, sempre faço questão de deixar aqui minha opinião sobre os fatos (quem não gosta pode ler os jornais).

Assisti pela internet o discurso do líder do governo que inspirou os vereadores da base a votar contra o projeto. Damaceno jamais lembrou em seus discursos que pertence ao Partido Progressista, partido da base do governo Pezão que tanto critica. Seu líder, Francisco Dornelles, é nada menos que o vice-governador.

Seu discurso pedante – camuflado por um sonho de ser prefeito – é um dos motivos da repulsa que sinto por grande parte dos políticos. Uma página concorrente há algumas semanas publicou que Damaceno é o pior vereador da história. Eu discordo!

Ser o pior seria dar algum destaque a este jovem político que teve a grande oportunidade de fazer a diferença e decidiu liderar o pior governo da história de Petrópolis nas maiores derrotas do povo no palácio amarelo. Minha opinião!

Ao contrário de minha concorrente, não vou lista-las, mas é preciso dividir está responsabilidade com quem votou, mais uma vez, contra os interesses da população: Luisinho Sorriso, Thiago Damaceno, Jorginho Banerge,  Vadinho, Ronaldão,  Ronaldo Ramos, Montanha , Meirelles e Roni Medeiros. Os vereadores Maurinho e Pastor Sebastião não participaram da votação.