Petrópolis recebe equipamentos para monitorar áreas de risco de deslizamentos



Petrópolis deu início nesta semana a mais uma importante ferramenta de prevenção de desastres naturais: a Estação Total Robotizada (ETR), na Escola Municipal do Alto Independência. O equipamento, somado aos 100 prismas instalados nas encostas ao redor, detecta a movimentação de terra dos morros, mesmo que milimétrica, possibilitando ao poder público prever deslizamentos. A medida é uma parceria da Prefeitura, por meio da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Na manhã desta terça-feira (15/12), o prefeito Rubens Bomtempo e a diretora substituta do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Regina Célia Alvalá, concederam entrevista coletiva para anunciar a implantação dos equipamentos.

“Petrópolis dá hoje mais um salto na prevenção de desastres das chuvas, com esses equipamentos de alta tecnologia, fruto do envolvimento de muitos entes, como o Cemaden. São sensores geotécnicos que nos possibilitam fazer uma leitura mais aprofundada dos efeitos das fortes chuvas na nossa cidade. Com esses dados, poderemos melhorar o nosso sistema de prevenção de desastres. Hoje temos um diálogo muito bom com o Cemaden, e o caminho é esse, porque esse Sistema Nacional de Defesa Civil precisa se consolidar cada vez mais. É o que estamos fazendo aqui hoje”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Petrópolis faz parte desse projeto-piloto do Cemaden/MCTI, que é o Projeto de Monitoramento de Morros para Prevenção de Riscos de Deslizamentos. Nesta primeira fase, são nove municípios recebendo os equipamentos. Petrópolis é o quarto – os primeiros foram Santos (SP), Mauá (SP) e Blumenau (SC).

“Esse projeto, para ser bem sucedido, depende de um trabalho integrado. Por isso, é muito importante a participação de órgãos federais, estaduais, municipais, das Defesas Civis, e dos moradores. Não há gestão boa que não leve em consideração cada ente”, disse a diretora Regina Alvalá, do Cemaden.

Também participaram da coletiva o secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, e o pesquisador adjunto do Cemaden Rodolfo Moreda Mendes.


Projeto de Monitoramento dos Morros para Prevenção de Deslizamentos

A Estação Total Robotizada (ETR) é um sensor geotécnico que emite sinal infravermelho, refletido nos 100 prismas (ou espelhos) instalados nos morros e encostas do município. Esses sinais emitidos permitem captar até pequenas movimentações de terra dos morros, abrangendo uma área circundada de encostas em 360 graus, cobrindo até 2,5 km de extensão.

Os dados coletados pelos equipamentos serão enviados, via internet, ao Cemaden, possibilitando acompanhar e monitorar qualquer risco de deslizamentos das encostas. A partir de pesquisas em andamento, as informações e dados obtidos darão subsídios para emissão de alertas prévios de movimentos de massa com maior confiabilidade.

Os moradores das áreas de riscos de deslizamentos de Petrópolis já estão sendo informados e esclarecidos sobre as instalações desses equipamentos próximos às moradias que não causam quaisquer interferências em outros equipamentos e nem impactos às áreas onde serão instalados.

Em cada um dos nove municípios do projeto, além da ETR e prismas, serão instalados mais um conjunto de equipamentos de monitoramento, composto por 15 plataformas de coleta de dados. Cada plataforma é integrada por um pluviômetro e seis sensores de umidade do solo, para coletar dados sobre quantidade de chuvas acumuladas e de água no solo, complementando as informações sobre possíveis riscos de deslizamentos.

Comentários