DEZ MIL FOLDERS FORAM DISTRIBUÍDOS NO DIA D DE COMBATE AO MOSQUITO AEDES AEGYPTI



O último sábado (12/12) foi dedicado à conscientização da população sobre os cuidados a serem tomados contra o mosquito Aedes Aegypti - transmissor da dengue, febre chikungunya e zika. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, realizou o Dia D de combate ao mosquito, quando 10 mil folders foram distribuídos pelos agentes de combate a endemias da Vigilância Sanitária, que percorreram 11 pontos da cidade – do Centro ao distrito da Posse. 

“A ação foi positiva e muita gente acaba se sensibilizando em relação aos riscos. É fundamental que todos façam a sua parte, limpando o terreno, não deixando água parada e permitindo o acesso nas residências dos agentes de combates a endemias”, disse o coordenador da Vigilância Sanitária Eduardo de Lucena. As denúncias de possíveis focos de mosquito podem ser feitas ao Setor de Combate a Dengue pelo telefone 2231-0841, de segunda a sexta-feira, de 9h as 17h.

A doméstica Maria do Socorro Jorge de Lima, de 52 anos, aprovou a mobilização e contou que sempre limpa o seu terreno. “Não deixo água nos vasos de planta e cuido bem do meu quintal. Todos devem fazer sua parte”, disse. A ação aconteceu no Calcação do Cenip; nos Terminais Rodoviários do Centro e Corrêas; nas praças Dom Pedro, Luiz Furtado da Rosa (Corrêas) e de Nogueira; na Rua Teresa, no Alto da Serra, no Parque de Exposições Prefeito Paulo Rattes (Itaipava) e nos centros de Pedro do Rio e Posse.

Sigas as dicas para evitar focos do mosquito:

- Não deixar a água se acumular em recipientes como, por exemplo, vasos, calhas, pneus, cacos de vidro, latas e etc.
- Manter fechadas as caixas d’água, poços e cisternas- Não cultivar plantas em vasos com água. Usar terra ou areia nestes casos
- Tratar as piscinas com cloro e fazer a limpeza constante. O ideal é deixá-las cobertas ou vazias quando não for usar por um longo período.
- Manter as calhas limpas e desentupidas.
- Avisar um agente público de saúde do município caso exista alguma situação onde há o risco de proliferação da doença.