quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Vereadora acionará MP para apurar denúncias de falta de merenda e material em escolas de Petrópolis



Pais e profissionais da educação de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, denunciam a falta de merenda escolar e material básico em escolas da rede. De acordo com a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), vice-presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, diversas pessoas procuraram seu gabinete para denunciar a situação.


– Visitei algumas escolas para apurar denúncias recebidas em meu gabinete e através das redes sociais e encontrei um caso onde a escola está vendendo picolés para manter o básico de material de limpeza; em outra encontrei merendeiras que estão sendo obrigadas a racionar merenda escolar para conseguir atender a todos os alunos. Sei de um caso onde os professores tiveram que ditar o enunciado das questões, pois a escola não tem como imprimir as provas. E ainda: Sem crédito no comércio local, telefone e sem internet. Está faltando legumes, biscoitos, e muitos outros alimentos importantes. E a situação se arrasta sem solução e previsão de acabar.  Por isso, estarei acionando o Ministério Público para apurar as responsabilidades na crise da educação e tentar normalizar a situação das escolas – explica a vereadora.

Para tentar descobrir as dificuldades enfrentadas pelo poder executivo para o abastecimento regular das escolas, a vereadora Gilda Beatriz realizou vistoria no depósito da merenda da Secretaria Municipal de Educação na terça-feira (10.11).

– No depósito da merenda confirmei a falta de leite em pó, as poucas unidades estão destinadas aos Centros de Educação Infantil. E os demais alunos, ficam sem leite? Fui informada que a compra do produto está em processo de licitação. Mas o município não pode esperar o fim dos produtos para comprar. O mesmo acontece com o alho fresco que é entregue diretamente nas escolas e que está em falta em algumas unidades. Questionei o porquê de não distribuir o alho industrializado estocado no depósito a estas escolas. Falta também biscoito de água e sal e de maisena. A distribuição da merenda conta com um caminhão, uma van e um carro. Mas apenas o caminhão está sendo usado. São muitas as dificuldades de logística enfrentadas pelo Núcleo da Merenda Escolar que é vinculado à Secretaria Municipal de Educação, tanto na realização de suas compras, como na distribuição dos gêneros alimentícios às escolas da rede municipal de ensino. São apenas seis funcionários para atender quase 200 escolas e alimentar cerca de 35 mil alunos. Com estes números é fácil entender as dificuldades enfrentadas pelas unidades de ensino – completa.

O Conselho de Alimentação Escolar (CAE) é responsável por acompanhar e fiscalizar diretamente o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Ao município cabe a responsabilidade com a educação infantil, em creche e pré-escola, e atendimento ao educando do Ensino Fundamental através do PNAE, matriculados em escolas públicas, filantrópicas e em entidades comunitárias (conveniadas com o poder público) por meio da transferência de recursos financeiros.

Nenhum comentário: