Polícia prende pastor idoso suspeito de abusar de meninas em Petrópolis



Agentes da 105ª Delegacia de Polícia, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, prenderam na madrugada deste sábado (28) um pastor de 68 anos suspeito de abusar sexualmente de quatro meninas, de 4, 9 e duas de 10 anos de idade. Ele foi localizado pouco antes de 5h no bairro Santa Teresinha, em Murié, MG, na casa de um tio onde estava escondido, segundo a polícia.

De acordo com o inspetor chefe da 105ª DP, Renato Rabelo, o pastor usava a posição dentro da comunidade para abusar das meninas. Segundo a delegada Juliana Menescal, responsável pelo caso, o pastor cuidava das crianças para que os pais fossem trabalhar, quando cometia os abusos. Segundo ela, não houve a consumação do ato, mas houve o abuso sexual e diversos atos libidinosos contra as crianças.

As vítimas eram vizinhas do suspeito em um condomínio na Estrada Mineira, em Corrêas. O crime estaria ocorrendo deste setembro deste ano. Ainda segundo a delegada, as mães de duas vítimas registraram o caso no dia 14 deste mês e relataram a possibilidade de haver mais vítimas.

As duas prisões temporárias, de 30 dias cada, foram decretadas nesta quarta-feira (25) pela 1ª Vara Criminal, após o suspeito prestar depoimento na delegacia no dia 19, acompanhado do advogado, quando negou o crime. Nesta sexta-feira (27) a mãe de uma criança de 4 anos também registrou o caso na unidade policial.

"Quando ele negou o crime disse que não manteve relação sexual com as vítimas, mas que seu único erro foi tirar dúvidas sexuais das crianças. Mas ouvimos testemunhas que viram esses abusos, inclusive a prima de 10 anos da primeira menina que fez o registro, que foi testemunha, também será incluída como vítima. Mas temos provas bem convincentes sobre os abusos, como uma gravação na qual ele faz insinuações para uma das vítimas", comentou a delegada.

Ainda de acordo com a investigadora, as vítimas contaram que o pastor ameaçava as crianças de morte caso contassem para os pais sobre o abuso. Os investigadores acreditam que haja mais vítimas do pastor e esperam que elas procurem a delegacia.

“Ele havia sido intimado, foi prestar depoimento e a delegada Juliana Menescal pediu a prisão temporária ao Ministério Público, que concordou e o juiz expediu os mandados. Ele será ouvido novamente sobre os dois inquéritos contra ele e aguardamos outras possíveis vítimas virem registrar e fazer o reconhecimento”, frisou o inspetor Renato Rabelo.

Os mandados são por estupro de vulnerável e o pastor deve ser transferido para um presídio na capital na segunda-feira (30).

fonte: G1 Região Serrana
Andressa Canejo

Comentários