sábado, 14 de novembro de 2015

Mobilização contra instalação de transbordo de lixo em Corrêas




Na manhã deste sábado (14/11) moradores de Corrêas participaram de abaixo assinado contra a instalação de um transbordo de lixo na região. A empresa Locar já alugou o espaço, onde funcionava a empresa Montreal Engenharia, e que, mais recentemente, abrigava as garagens das empresas de ônibus urbanos do município.

O espaço seria utilizado para transferência do lixo dos caminhões coletores para as carretas e então transportados para outras cidades. O vereador Silmar Fortes (PMDB), integrante da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, falou sobre os perigos do terreno abrigar um transbordo. “Temos que nos mobilizar, pois a Comdep confirmou que havia a possibilidade da instalação de um transbordo no local que fica próximo ao rio, o que poderia trazer sérios impactos ambientais. Quando abordo a questão ambiental me refiro à poluição, ao chorume. Quem vai controlar esse ambiente? Além de estar situado entre a Estrada União e Indústria e o Rio Piabanha, o espaço está próximo de várias moradias, escolas, hospitais, hotéis, pousadas e estabelecimentos comerciais. Isso afetaria diretamente a vida de quase 40 mil moradores desta região, localidades como Bairro da Glória, Caititu, Bonfim, Estrada Mineira e Castelo. A população de Corrêas não quer lixo, quer qualidade de vida”.

O Pastor da Igreja Pentecostal Viva, Sérgio Murilo, destacou as ameaças que um transbordo poderia causar à saúde dos moradores. “A população que mora próximo ao terreno vê suas casas serem invadidas pela água a cada chuva forte. Com a instalação do transbordo de lixo essas pessoas poderão contrair doenças. Já atuei em comunidades que trabalham em lixão e sei do impacto que isso traz à saúde da população”.

O economista Gilberto Rodrigues também esteve na Praça de Corrêas e questionou a escolha do local do transbordo. “Temos vários outros espaços para abrigar um transbordo de lixo, por isso, acredito que não deveriam nem ao menos cogitar a possibilidade de instalação de uma atividade como essa num espaço urbano densamente povoado.”
Silmar ressaltou que medidas já foram tomadas para que a instalação do transbordo na região não seja consolidada. “Encaminhamos ofícios para a Locar, Comdep ,Secretaria de Meio Ambiente, Inea e Ministério Público, que acatou a denúncia e abriu um inquérito. Já houve uma reunião entre o Ministério Público, Locar e Secretaria de Meio Ambiente, da qual eu solicitarei a ata. Na quinta-feira (19/11) às 19h teremos uma reunião na Igreja Pentecostal Viva quando agendaremos uma Audiência Pública para discutir essa questão do bairro com a Comissão de Meio Ambiente da Câmara. Convido as lideranças comunitárias, igrejas empresários e demais instituições que queiram colaborar com Corrêas”.

3 comentários:

carlos jose Luz disse...

um "transbordo de lixo", as margens de um rio que vem sendo alvo de despoluição,ainda que seja "um deposito de transito para caminhões cheios de lixo";eu digo que é um verdadeiro atestado de ingerência pública se for instalada essa LIXEIRA.

carlos jose Luz disse...

se instalada "essa lixeira" será um atestado de ingerência publica,com a cumplicidade de autoridades ambientais.

carlos jose Luz disse...

um "transbordo de lixo", as margens de um rio que vem sendo alvo de despoluição,ainda que seja "um deposito de transito para caminhões cheios de lixo";eu digo que é um verdadeiro atestado de ingerência pública se for instalada essa LIXEIRA.