Em Petrópolis falta dinheiro para merenda, mas sobra para gastar com bufê



Petrópolis é mesmo uma terra de contradições que desafiam a capacidade de indignação da população. Na última semana, um jornal local divulgou que a Prefeitura fechou em outubro um contrato de R$ 80 mil com um bufê. Já a SETRAC, comandada por Fernanda Ferreira, segundo o mesmo jornal, os gastos ficam em pouco menos de R$ 79 mil. 

Ou seja, dinheiro para contratar médicos, comprar remédios, leite especial para crianças com alergia, material básico para atendimentos e até merenda escolar, não tem. Mas para alimentar o primeiro escalão, assessores, e seus convidados não falta. 

Chupa essa manga!