Aumento da gasolina chega a 9% em Petrópolis, confira a tabela de preços




Quatro dias após a Petrobras anunciar reajuste no valor da gasolina e do diesel, o preço em Petrópolis ficou maior que o percentual de aumento estabelecido pela estatal. Se para a gasolina a empresa fixou subida de 6%, no município o combustível está 9% mais caro nas bombas. A base de comparação é o mês de junho, quando houve a última grande alteração de preço entre os postos da cidade. Ontem (2), o maior preço do litro da gasolina foi encontrado por R$ 3,94.

Ao todo, oito postos foram pesquisados pelo Diário. De todos os estabelecimentos, quatro já repassaram o reajuste do combustível para as bombas. Vale observar, para o caso da gasolina, que o local mais em conta, o Auto Posto Toronto, no Bingen (sem bandeira), não teve aumento de valores e segue custando R$ 3,39. Apesar disso, a diferença entre este e o mais caro, que atualmente é o Petrobras, da Coronel Veiga, chega a quase 14%. Para o Diesel, que recebeu aumento de 4% pela Petrobras, a diferença entre os quatro postos que trabalham com o produto é de até R$ 0,15.

Para o caso dos condutores de veículos flex, ainda é mais vantagem abastecer com a gasolina. Segundo o site “Suporte Postos” (www.suportepostos.com.br), para ser mais vantajoso utilizar etanol, a diferença de preço deve ser superior a 30%. Isso ocorre, pois a autonomia do veículo com álcool tem de ser de até 30% menos, para ser vantajosa a sua utilização. Considerando os preços mais altos de ambos os combustíveis – R$ 3,94 para a gasolina do Petrobras, da Coronel Veiga e R$ 2,99 o Shell, também da Coronel Veiga, para o álcool –, a diferença é de 24%.

Aumentos anteriores

Em novembro de 2014, a Petrobras já havia aumentado o preço de venda nas refinarias da gasolina e do diesel, com altas de 3% e 5%, respectivamente. Em janeiro de 2015, a tributação incidente sobre a gasolina e o diesel também foi elevada, conforme o decreto presidencial 8.395, publicado no Diário Oficial da União.

Em agosto, a Petrobras anunciou também aumento do preço do gás de cozinha – o gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado em botijões de até 13 kg (GLP P-13). A alta média anunciada foi de 15%.

fonte: Diário de Petrópolis