quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Vereadora alerta para falta de leite especial para crianças com alergia



Famílias de crianças diagnosticadas com alergia à proteína do leite de vaca (APLV) denunciam que há dois meses não conseguem obter leite especial em Petrópolis, Região Serrana do Rio. Segundo a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), muitas famílias não têm condições financeiras de comprar o alimento, pois cada lata de leite custa mais de R$ 150 e dura poucos dias.

“Recebi em meu gabinete e através das redes sociais pedidos de mães desesperadas com a falta do leite especial. Quando a pessoa com APLV ingere alimentos que possuem as proteínas do leite o seu sistema de defesa as reconhece como uma substância estranha e libera na corrente sanguínea anticorpos (IgE) ou células inflamatórias, acarretando reações gastrintestinais, de pele, respiratórias ou sistêmicas. Vou notificar o Conselho Municipal de Saúde e oficiar a Secretaria Municipal de Saúde para que seja feita a reposição do leite especial. É preciso uma solução rápida para que estas famílias possam ser atendidas, ou terei que denunciar o caso ao Ministério Público”, pontua a vereadora.

APLV é a sigla de alergia à proteína do leite de vaca, uma reação do sistema de defesa do organismo às proteínas do leite.

“O único tratamento comprovadamente eficaz da alergia ao leite ainda é a dieta isenta de todos os alimentos que possuem as proteínas do leite por 6 a 12 meses, dependendo da idade e tipo de reação que a criança apresenta. Os medicamentos ajudam a minimizar os sintomas, mas eles não tratam a alergia”, completa Gilda Beatriz.

foto: divulgação

Nenhum comentário: