Subconcessão dos rotativos vai prejudicar a economia da cidade, alerta Gilda Beatriz


VALOR DA SUBCONCESSÃO AUMENTOU R$2 MILHÕES

O estacionamento rotativo em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, será administrado por uma empresa particular que será escolhida no próximo dia 13 de outubro, mediante licitação. A subconcessão para gestão e exploração dos estacionamentos rotativos de veículos nas Vias Públicas no município valerá pelos próximos 10 anos, permitida a prorrogação por mais 10 anos. O processo que chegou a ser cancelado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) foi liberado pela 4ª Vara Cível, mediante as adequações ao edital.

O valor da licitação estimado inicialmente em R$94 milhões, passou para R$96 milhões, números exorbitantes e que poderiam recuperar a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) através de uma gestão profissional, é o que afirma a vereadora Gilda Beatriz (PMDB).

“Não existe um estacionamento no município que não ganhe dinheiro, o problema da CPTrans é má gestão. É melhor para o cidadão ter  uma empresa de economia mista que tem como sócia majoritária a Prefeitura de Petrópolis, tendo o direito de explorar e administrar os rotativos, possibilitando assim, melhores tarifas e a manutenção dos empregos na companhia, ao invés de uma empresa particular que visa apenas o lucro” pontua.

A Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) afirma que o processo de subconcessão vai possibilitar a ampliação das atuais 700 vagas para 1.700.

“O governo anunciou um aumento de vagas que em momento algum foi comprovado, na pratica, as ruas serão divididas por cores: As de maior movimento, o preço do estacionamento será mais caro, pode chegar a R$4,00/hora. Mas a subconcessionária pode alterar a classificação das vagas, de acordo com critérios próprios. Ou seja, se a rua tiver aumento no seu movimento de carros, aumenta a tarifa. Outro problema, para nós, cidadãos petropolitaos: Nas ruas de maior movimentação (será área vermelha) o nosso carro só poderá ficar estacionado por uma hora! Depois será preciso tirar o carro da vaga, para não receber aviso de cobrança de tarifa de regularização, que nada mais é que uma multa de cinco vezes o valor da tarifa. Outra situação absurda: Em eventos de grande porte, como a Exposição Agropecuária e Bauerfest, por exemplo, as condições podem ser modificadas, pode-se permanecer mais tempo na vaga, porém a tarifa será até quatro vezes o valor da cobrada nos dias normais. A empresa que administrar os rotativos vai faturar em toda cidade e a população não terá opção, elevando o custo para quem depende do veículo diariamente para realizar qualquer atividade, até quem decidir comprar no Hortomercado Municipal terá que pagar pelo estacionamento, um grande prejuízo para os comerciantes. Como sempre quem perde é o cidadão e a economia da cidade, pois será mais caro comprar e se hospedar em Petrópolis, duas de nossas principais atividades que serão atingidas em cheio. A cidade mais linda da Serra vai acabar virando uma cidade fantasma”, alerta Gilda Beatriz.

O Diário Oficial (DO) do município apresentou na quinta-feira (03.09) o edital para contratação de uma empresa privada para assumir o estacionamento rotativo.  A tarifa será definida pela prefeitura e o valor da cobrança será mantido pelo que estiver vigente no momento em que a empresa assumir a cobrança. 

Comentários

Anônimo disse…
Meu Deus ,agora todos os governantes estao seguindo o exemplo da Dilma, vao fuder com os petropplitanos
Ja nao basta pagar pedágio, agora aumento absurdo de estacionamento da NOSSA cidade,pagamos ipva exatamente pra termosdereitos adquidos e no entanto so porrada
Vc compra um carro e paga tudo tudo,cada dia aparece uma coisa
T n c. Ta dificil
Quero ver se os vereadores vao fazer algima coisa ,a miseria so aaumenta com todos estrs aumento
Proxime eleição vamos lembrar disso