Fundação Abrinq visita a cidade para conhecer o programa Escola Resiliente



Representantes da ONG Fundação Abrinq estiveram na terça-feira (22/9) em Petrópolis para conhecer o programa Escola Resiliente, desenvolvido pela Prefeitura em 23 escolas municipais em áreas de risco. O programa consiste em encontros mensais com os alunos para trabalhar em sala de aula os principais conceitos de prevenção de desastres naturais, com atividades lúdicas e estratégias para multiplicar esse conhecimento. A visita dos representantes da Fundação Abrinq foi à Escola Municipal do Alto Independência.

O programa Escola Resiliente teve início em agosto, tendo como base o decreto municipal 622, assinado pelo prefeito Rubens Bomtempo em dezembro de 2014, que incluiu a temática da Defesa Civil no currículo escolar da rede municipal. O coordenador do programa Escola Resiliente, Rodrigo Xavier, explicou que são reuniões mensais de três horas de duração com alunos de 10 a 13 anos de idades. Além disso, o coordenador e os alunos seguem trocando informações sobre prevenção pelo Facebook e por um grupo do Whatsapp.

“Com a inclusão da Defesa Civil no currículo escolar no fim de 2014, os professores já vêm trabalhando em sala de aula esses conceitos de prevenção de desastres naturais. Já o programa Escola Resiliente trabalha esses conceitos com os alunos na prática, com a elaboração de mapas da escola, cartazes com o histórico da escola desde a sua fundação, preparação de simulados de desocupação, entre outras atividades. A ideia é que o aluno perceba o ambiente escolar e reflita sobre os riscos, como deslizamentos, inundações e queimadas”, disse Rodrigo Xavier.

Na sua administração anterior, o prefeito Rubens Bomtempo recebeu da Fundação Abrinq o título de Prefeito Amigo da Criança, por atuar na promoção de políticas voltadas para a defesa da criança e do adolescente. Assistente técnico na Fundação Abrinq, Carlos Delcídio explicou que o programa Prefeito Amigo da Criança é uma plataforma de multiplicação de boas práticas. A visita da Fundação a Petrópolis é para que os representantes conheçam e avaliem o programa Escola Resiliente, para que, em caso de aprovação, possam levá-lo para outros municípios.

“A Fundação Abrinq incentiva os municípios a priorizarem políticas para crianças e adolescentes. Além disso, temos uma pauta voltada para crianças em situações de emergência. Por isso, viemos conhecer essa iniciativa e reconhecer o esforço do município em promover esse engajamento da criança, para que ela seja um agente transformador. Fiquei muito feliz com o que vi. É muito valiosa essa integração entre Defesa Civil e educação. Petrópolis tem um diferencial, que é esse comprometimento com a infância”, disse.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, acompanhou as atividades no Independência. “Quando fomos ao Japão, pela parceria com a Jica (Agência de Cooperação Internacional do Japão), vimos na prática que lá as crianças aprendem desde cedo o seu papel na prevenção de desastres naturais. O Japão é uma referência internacional de Defesa Civil, então temos que aprender com eles. O programa Escola Resiliente vai nesse sentido, por formar novos cidadãos que pensem a prevenção”, disse Simão.

Comentários