sexta-feira, 11 de setembro de 2015

CPI da Crise Hídrica da Alerj ouve Águas do Imperador


A concessionária Águas do Imperador opera em Petrópolis há 17 anos.

Na manhã desta quinta-feira (10), esteve presente na CPI da Crise Hídrica da Alerj o diretor da concessionária Águas do Imperador, Márcio Salles. O objetivo da reunião foi esclarecer qual o cenário do abastecimento de água no município de Petrópolis. Segundo o Márcio Salles, os investimentos em Petrópolis passam dos 150 milhões de reais e que o contrato da empresa com o município encontrasse com equilíbrio financeiro, 'Estamos realizados com o reconhecimento de que o contrato está equilibrado. Isso é a demonstração que cumprimos nosso papel', afirmou.

Diferentemente, o presidente da CPI da Crise Hídrica, deputado Luiz Paulo - PSDB, que recebeu diversas perguntas dos moradores de Petrópolis, mandou oficiar a Águas do Imperador para apresentar o seu contrato de concessão de 30 anos e o aditamento feito em 2012, que concedeu uma prorrogação por mais 15 anos, 'Estranho a Águas do Imperador não manter os contratos em seu site para consulta. Recebi vários pedidos para que a empresa apresente esses documentos. Agora, vamos oficiar para termos mais clareza sobre essa prorrogação feita em 2012', afirmou Luiz Paulo. Um outro pedido foi apresentado pela entidade que representa os distritos de Petrópolis, NovAmosanta, ao deputado Luiz Paulo, solicitando que a concessionária Águas do Imperador apresente o mapeamento das redes de água e esgoto dos distritos de Petrópolis. 

Márcio Salles afirmou não ser possível apresentar o mapeamento devido a inviabilidade técnica, mas que estes documentos poderão ser intercambiados no futuro com a prefeitura, após entrar em operação um servidor adquirido pela empresa. 'Esses mapeamentos estão em programas de difícil fragmentação, somente a Secretaria de Planejamento tem acesso', concluiu. 'Infelizmente, continuamos sem essa informação. O conhecimento desse mapeamento poderia nos permitir avaliar quais logradouros podem ou não receber prédios', registrou o presidente da NovAmosanta, Roberto Penna Chaves. Márcio Salles afirmou que Petrópolis não corre risco de ter falta de água. 

Nenhum comentário: