quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Em Petrópolis, contratos de três empresas de ônibus terminam dia 28

Câmara de Vereadores cobra da prefeitura licitação de operação de 135 linhas urbanas



Responsáveis pelo transporte de pelo menos 50 mil pessoas por dia, as empresas PetroIta, Cidade das Hortênsias e Cascatinha - que  juntas operam 135 das 231 linhas urbanas em funcionamento na cidade – têm seus contratos de permissão expirando no dia 28 de agosto. A nove dias do prazo, o poder Executivo, a quem cabe a permissão, ainda não anunciou uma nova licitação. Uma prorrogação de contratos, se for o caso, também tem de ser justificada pela prefeitura. A falta de informações levou o presidente da Câmara, Paulo Igor (PMDB) a cobrar publicamente, na sessão itinerante no Caxambu, na noite desta terça-feira (18.08), posicionamento da administração municipal.

Os contratos de permissão foram assinados com estas empresas em 2005, sem a realização de processo de licitação. As empresas Petro Ita, Cidade das Hortências e Viação Casacatinha foram as únicas a ficarem de fora do processo de intervenção, realizado pela prefeitura em 2010, em três das seis empresas que atuavam na cidade. Após a intervenção nas empresas Viação Esperança, Autobus e Petrópolis, um processo de licitação foi realizado e duas novas empresas (Turb e Cidade Real) assumiram os serviços. Os contratos de concessão, assinados em 2012, têm validade de 20 anos.   

Juntas, as cinco empresas operam 231 linhas urbanas com uma frota de 360 veículos e rodam 2,5 milhões de quilômetros para transportar 5,5 milhões de passageiros por mês. “O transporte público é fundamental para manter ativa a economia da cidade. Toda empresa, de qualquer ramo, e seus funcionários dependem dos ônibus para ter sua mão de obra operando. Cuidar das permissões é dar garantia que está engrenagem continue funcionando”, aponta Paulo Igor.

O presidente da Câmara cobrou da prefeitura  informações sobre os contratos, prazos e também sobre estudos que possam apontar pela prorrogação das permissões. “Essa cobrança feita publicamente também está sendo formalizada junto ao Executivo”, afirmou.

 “Temos percorrido todos os terminais de ônibus nas últimas semanas e conversado com os usuários, que reclamam da qualidade do transporte coletivo. Estamos cobrando que a prefeitura nos forneça cópias dos processos administrativos, termos, contratos e informações acerca de eventual prorrogação de seus termos pelo município ou pela CPTrans.  Queremos também que a prefeitura nos informe motivos, estudos e razões para prorrogar tais serviços, caso isto esteja previsto”, explica Paulo Igor.

A empresa Petro Ita, que atende bairros da Zona Sul, além da região do Alto da Serra e Morin, é responsável por 83 linhas de ônibus. A Viação Cidade das Hortências, atende os bairros Cascatinha e Itamarati, além de localidades no entorno do Centro, como o bairro Floresta, e é responsável por 24 linhas. Já a viação Cascatinha, é responsável por 28 linhas que atendem bairros como Retiro, Quarteirão Brasileiro, Roseiral, Jardim Salvador, Carangola, entre outros na região. “As linhas destas empresas atendem bairros populosos da nossa cidade, como o Independência, por exemplo. O bom funcionamento do transporte coletivo é importante, pois influência diretamente no dia a dia da população, que depende deste serviço para sair de casa todos os dias para trabalhar. Vamos acompanhar de perto esta questão”, pontua Paulo Igor.



Câmara na Comunidade no Caxambu

A indicação para que a primeira sessão itinerante do segundo semestre fosse realizada no bairro Caxambu foi do vereador Luizinho Sorriso (Pros), que homenageou lideranças comunitárias do bairro. “A Câmara deveria ampliar este projeto de sessões itinerantes, pois isto permite que as pessoas conheçam melhor o trabalho dos vereadores e também que eles ouçam as nossas demandas”, disse o presidente da associação de Moradores do bairro, José Clevelland.

 “Esta iniciativa da Câmara é excelente, pois permite que as pessoas tenham contato direto com os parlamentares, que são os nossos representantes. A população não pode perder a oportunidade de participar destas reuniões, acompanhando o trabalho deles e apresentando as suas necessidades”, considera Maria Elisabete Cabral de Souza, a diretora da Escola Municipal Senador Mário Martins, onde foi realizada a sessão.

Desde o início do ano, o projeto Câmara na Comunidade já foi realizado em sete comunidades em diferentes pontos da cidade, levando o trabalho dos vereadores a mais de 600 moradores. As plenárias foram realizadas no distrito da Posse, nos bairros Corrêas e Nogueira, e na Avenida Barão do Rio Branco, no Centro, São Sebastião, Jardim Salvador e Caxambu. Até o fim do ano, outras quatro regiões da cidade recebem as sessões itinerantes. As localidades são definidas por meio de indicações de vereadores. A próxima plenária está marcada para o dia 10 de setembro.

Um comentário:

cesar murilo disse...

hoje andei atrás de um coletivo da cascatinha que tinha escrito na traseira a data de fabricação:2003. isso mesmo. o carro tem apenas doze anos de idade.mas segundo a lei isso não pode acontecer. cadê a fiscalização? com a palavra Eduardo Ferreira.