Animais silvestres da região correm perigo durante período de estiagem

foto: Divulgação / RebioAraras

Mais uma vez  a região serrana sofre com a ausência de chuvas ao longo do inverno,  o que costuma afetar espécies de vida livre ou mantidas em cativeiro. As queimadas causadas pelo clima seco  transformam-se em incêndios comprometendo o ambiente natural de muitos animais.

“Alguns são lentos, não conseguem fugir e acabam sofrendo queimaduras, provocando ferimentos extensos e graves, podendo até levar a morte”, explica o médico veterinário e especialista em animais silvestres Francisco Vilardo,  da Clínica Amigo Bicho, em Petrópolis.

Segundo o profissional, um fator de grande preocupação é a forma como o ser humano vem eliminando material orgânico de seus terrenos. Além disso, é fundamental não deixar lixo na natureza, durante um passeio ecológico, por exemplo, porque este pode entrar em combustão espontânea e provocar problemas de maiores proporções na vegetação nativa.

“Quanto aos animais de cativeiro, deve-se protegê-los de friagem, principalmente à noite e de madrugada, como também de correntes de ar, às quais alguns deles ficam expostos, evitando assim maiores danos à saúde”, orienta.

A estiagem também afeta peixes que habitam rios e lagos de nossa região, cágados de água doce, aves, répteis e mamíferos, como gambás, ouriços e  bichos-preguiça, que dependem da disponibilidade de água para matar a sede, buscar alimentos, se esconder ou como local de reprodução.

Com a diminuição da vegetação nativa e ocupação desordenada de áreas naturais, aumenta inclusive o número de animais silvestres que se aproximam das zonas residenciais.

“Se estiverem dentro do terreno, o ideal é manter cães e gatos afastados e não tentar capturar ou se aproximar destes animais, sobretudo se precisarem de cuidados porque ao se sentir ameaçados podem atacar para se defender, sendo que, em caso de dúvida, o melhor é entrar em contato com o Corpo de Bombeiros ou Secretaria Municipal de Meio Ambiente”, esclarece Dr. Vilardo, salientando que por maior boa vontade que se tenha, é necessário experiência e conhecimento técnico suficiente para se aproximar, aprisionar e acondicionar adequadamente estes animais, sem causar ferimentos às espécies e estas machuquem os seres humanos.

​Dr. Francisco Vilardo é especialista em animais silvestres e atende na Clínica Veterinária 24 horas Amigo Bicho, localizada na Rua Montecaseros, 414, em Petrópolis.

Comentários