Petrópolis recebe o maior supercomputador da América Latina



Petrópolis conquistou nesta sexta-feira (3) uma vitória histórica no campo da ciência e tecnologia: o maior supercomputador da América Latina chegou ao município para ser instalado no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), no Quitandinha. O equipamento, com capacidade de realizar 1,1 quatrilhão (15 zeros) de operações de soma e subtração por segundo, será um atrativo para empresas de grande porte de alta tecnologia se instalarem no município, gerando emprego, além de colocar Petrópolis no mapa mundial da computação de alto desempenho.

O equipamento é da empresa francesa Atos Bull e representa um investimento de R$ 60 milhões. Após chegar ao porto do Rio de Janeiro, todo o sistema que forma o supercomputador precisou de quatro carretas para o transporte até Petrópolis. A vinda do supercomputador foi resultado de um encontro, em 2013, entre o prefeito Rubens Bomtempo e o então ministro da Ciência, Teconologia e Informação, Marco Antonio Raupp. Na ocasião, Bomtempo mostrou que o município tem infraestrutura para receber o equipamento.

“É um momento histórico para Petrópolis, que se reafirma como polo tecnológico e dá um novo e gigantesco salto nesse sentido. Agora, estamos criando novas condições para empresas de grande porte se instalarem em Petrópolis, o que irá gerar muitos empregos no ramo da alta tecnologia”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Como explicou o diretor do LNCC, Pedro Leite da Silva Dias, o supercomputador possibilita grandes avanços em pesquisas em diversas áreas, como energia, engenharia, química, meio ambiente, meteorologia, banco e mineração de dados, ciências biológicas e, principalmente, a nanotecnologia. Para utilizar o supercomputador, a empresa interessada deverá fazer a solicitação ao Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Sinapad), coordenado pelo LNCC, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Em agosto, o supercomputador estará em operação, em fase de testes, para estar disponível aos usuários em setembro.

“É um marco da computação de alto desempenho no Brasil, porque abre portas para toda a comunidade científica e tecnológica brasileira. Em relação a Petrópolis, o supercomputador torna o município muito mais atrativo para o desenvolvimento de grandes projetos. A Atos Bull já está construindo também um centro de pesquisa de ponta no Quitandinha para funcionar já no segundo semestre. Tenho certeza que nos próximos cinco, seis anos, muitas empresas virão para cá”, disse Pedro.

“A conquista da implantação do supercomputador, somada com as demais, como a implementação da Rede Metropolitana de Alta Velocidade e a implantação do Campus da UFF, colocará Petrópolis em destaque no país como um dos mais importantes polo tecnológico no desenvolvimento cientifico e tecnológico na área de computação de alto desempenho”, disse o secretário de Ciência e Tecnologia, Airton Coelho.