quarta-feira, 29 de julho de 2015

Dia de Combate às Hepatites Virais é marcado por ações Petrópolis, RJ.



Com o objetivo de conscientizar a população e reduzir os casos de Hepatites Virais, a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), autora da Lei 7.104/2013, que instituiu o dia 28 de julho como o Dia de Combate às Hepatites Virais em Petrópolis, promoveu nesta terça-feira (28) ações de conscientização no calçadão do Cenip, no Centro.

“Todos os anos levamos às ruas esta campanha com objetivo de criar uma consciência alertando a população através de cartilhas e panfletos para cuidados rotineiros e simples capazes de evitar a contaminação dos tipos mais comuns da doença no Brasil: A, B e C. A higiene pode prevenir a transmissão do tipo A, que ocorre por ingestão de água e alimentos contaminados por fezes da pessoa infectada. Sempre lavar as mãos com sabão depois de ir ao banheiro, ferver a água em locais onde não há água clorada, higienizar os alimentos são algumas dicas evitar esse tipo de Hepatite. Os tipos B e C, têm como principal forma de transmissão o contato com sangue, as relações sexuais sem proteção e o uso de materiais cortantes não esterilizados” explica a vereadora.

No Rio de Janeiro, foram registrados 5.261 casos de Hepatite B e 6.162 casos de Hepatite C, entre 2005 e 2012. Anualmente, ocorrem cerca de 700 novos registros. A Hepatite C é a que mais atinge a população do Rio. A vacina contra o tipo B faz parte do Programa Nacional de Imunizações há 14 anos.

“Muitos não sabem sequer que existe vacina. Há uma cultura muito forte de vacinação da criança, mas ainda estamos muito longe na cobertura de jovens, adultos e idosos. Ir ao médico regularmente e realizar exames de rotina pelo menos, a cada seis meses, é o ideal para identificar e tratar a Hepatite adequadamente e impedir a progressão da doença”, acrescentou.

Não há vacina para prevenir a Hepatite C – a mais severa desses três tipos mais comuns no Brasil, podendo causar câncer no fígado. A vacina contra a Hepatite A começou a ser fornecida, pelo Sistema Único Saúde (SUS), para crianças de 1 a 2 anos. Crianças maiores, adolescentes e adultos podem ser vacinados em clínicas privadas.

Fontes: Ministério da Saúde / Secretaria de Estado de Saúde do Estado do Rio de Janeiro

Nenhum comentário: