Contratos do Lixo e Rotativos juntos podem passar de R$172 milhões em Petrópolis



Se você colocar na ponta do lápis o “contrato do lixo”  conquistado pela empresa pernambucana Locar em Petrópolis, R$ 78.282.259,38 por 24 meses, e somar ao valor estimado do contrato para explorar e administrar, por dez anos, os estacionamentos rotativos de veículos nas vias públicas da Cidade Imperial, cerca de R$ 94 mi, o montante ultrapassa a casa dos R$172 milhões. 

Lembrando que, a licitação da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (Cptrans), foi adiada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). 

Para você ter uma ideia do que representam estes números, a Prefeitura de Petrópolis, projeta para 2016 um orçamento de R$ 862 milhões. O estipulado pela constituição para ser gasto na saúde, área mais crítica atualmente na cidade, é de 15%. Segundo o governo, os investimentos da Prefeitura na área da saúde chegaram a quase 37% do orçamento municipal em 2014.

O resumo da ópera é: Quando mais dinheiro é colocado em contratos com valores estratosféricos, menos será investido no que mais interessa ao povo petropolitano. 

É preciso compreender o que é a crise nacional, a omissão do governo estadual, e principalmente, o que acontece em baixo do seu nariz. O dinheiro é seu, sai do teu bolso eleitor. Você tem o direito de saber onde e como ele é gasto. 

Desta forma, será mais simples entender as prioridades de cada político que assumir o poder por aqui. Os valores acima já foram divulgados em nossa página do facebook em banners que visam à conscientização.