Violência no principal acesso a Petrópolis é resultado de falta de investimentos

Autoridades dizem que sistema de monitoramento pode reduzir criminalidade na BR-040



Os poucos investimentos em equipamentos de segurança na BR-040 nos últimos anos, na contramão da tendência mundial de usar a tecnologia como ferramenta indispensável, resultaram em uma estrada ultrapassada em monitoramento. Esta foi a constatação de autoridades policiais que participaram da audiência pública na Câmara de Vereadores na noite de quarta-feira (03.05). Autoridades foram unânimes em apontar que, além de uma melhor integração entre as forças policiais, investimentos em equipamentos tecnológicos, como câmeras de monitoramento em pontos estratégicos da rodovia e a instalação de um Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) podem reduzir os índices de criminalidade na principal via de acesso do Rio a Petrópolis. Tais investimentos poderiam ser custeados com parte dos recursos arrecadados com a tarifa de pedágio cobrada pela Concer – concessionária que administra o trecho Rio-Juiz de Fora da rodovia, por onde transitam em média 65 mil veículos diariamente.

A reunião foi marcada pelo presidente da Casa, Paulo Igor (PMDB) e pelo presidente da Comissão de Segurança, vereador Reinaldo Meirelles (PTB), para buscar soluções para os casos de violência que vêm atingindo usuários da rodovia. Na terça-feira, no entanto, às vésperas da alta temporada de inverno antecipada em função do feriado de Corpus Christi, a Polícia Militar anunciou reforço no policiamento de ponto turísticos e locais de maior demanda de movimento de visitantes que segue intenso até o final de julho. A audiência pública debateu com mais ênfase o policiamento na estrada.

“Estou à disposição para fazer um trabalho integrado com as demais forças de segurança. Mas, esta integração será mais eficiente e dinâmica quando nossa região tiver um CICC que reúna informações de municípios da Baixada e da Região Serrana. A instalação de um centro de controle na Baixada é urgente. Este sistema poderia ser integrado com a Região Serrana, reunindo informações de Petrópolis e Teresópolis, por exemplo. Desta forma, poderíamos monitorar as condições de segurança das vias num raio de 200 quilômetros e atuar de forma mais eficaz”, aponta o comandante do Batalhão da Polícia Militar de Duque Caxias (15º BPM), tenente coronel João Jacques Busnello, que de pronto se comprometeu a intensificar o policiamento em vias de acesso à BR-040, na Região da Baixada, para coibir ação de bandidos que vem atuando na rodovia.

“A tecnologia vem sendo um instrumento importante na investigação e para a elucidação de crimes. A instalação de câmeras de monitoramento em pontos estratégicos da BR-040 é uma medida simples, que poderia contribuir muito para a segurança dos usuários”, avalia o titular da 106ª DP, delegado Ney Loureiro. O delegado lembra que concessionária que administra a rodovia também tem responsabilidade sobre a segurança dos usuários. “Uma fração da taxa de pedágio paga pelos usuários deve ser destinada a infraestrutura de segurança”, lembra. Ele explica, no entanto, que para que as câmeras funcionem efetivamente, é preciso que elas registrem as imagens com qualidade. “Os equipamentos existentes hoje têm uma qualidade de imagem muito ruim. Quando requisitamos imagens para investigar algum caso e questionamos a concessionária sobre a qualidade, a Concer informa que as câmeras existentes são destinadas ao monitoramento de fluidez de tráfego, não à segurança. É preciso que se pense também na questão da segurança e que sejam feitos investimentos neste sentido”, aponta o delegado Loureiro. A concessionária não encaminhou representantes à reunião.

Hoje, ainda que previstas no contrato de concessão da rodovia, a Concer mantém câmeras apenas em trecho na Baixada. Na serra, além destes equipamentos faltam iluminação e telefones de emergência. Também é inexistente painéis de comunicação com o usuário e sinal de celular.

Os repetidos casos de assaltos a ônibus, assim como necessidade de reforço no policiamento nas vias de acesso à cidade também foram apontados por representantes da sociedade civil e de entidades, como Associação dos Taxistas de Petrópolis. “Todas as demandas serão levadas ao Comando do 26º BPM e certamente haverá uma resposta para maximizar os trabalhos.”, disse capitão Afonso, que representou o comandante do Batalhão de Petrópolis, Marcelo Quinhões. O capitão lembrou que a presença de representantes da PRF, que não compareceu à audiência, seria importante para traçar uma estratégia de trabalho conjunto entre as diferentes esferas de segurança. “Estamos cobrando também uma presença mais intensa da PRF na serra e que ela se integre também ao planejamento estratégico de segurança da serra e da cidade ”, completou o deputado estadual Marcus Vinícius (PTB).

Câmara quer convênio para operações na Serra

Para viabilizar a realização de operações conjuntas entre equipes das Polícias Rodoviária Federal, Civil e Militar, na BR-040, o presidente da Câmara de Vereadores vai solicitar que seja firmado um convênio entre as forças de segurança para atuação na rodovia. “A existência de um convênio que permita uma ação integrada, foi um dos pontos apresentados esta noite. O convênio colocará fim ao conflito de atribuições, que limita as operações no perímetro da rodovia à PRF. Muitas outras propostas foram apresentadas esta noite. Saímos daqui hoje com o compromisso de cobrar não só aos órgãos públicos, como a Secretaria de Segurança e a Superintendência da PRF, mas a todos os envolvidos nesta questão, medidas imediatas para sanar o problema da segurança na rodovia”, diz Paulo Igor, lembrando que a Câmara também encaminhará ao chefe de Polícia Civil, um pedido de aumento no efetivo de Petrópolis. “Vamos solicitar que petropolitanos que estão se formando na Academia de Polícia Civil , sejam mantidos em Petrópolis”, disse. Dos 700 policiais em formação na Acadepol, 23 são moradores de Petrópolis.

“Encaminharemos ofícios ao Ministério da Justiça e ao departamento da PRF, solicitando a recomposição do efetivo na Baixada e na Serra de Petrópolis, bem como a realização de mais operações neste trecho”, explica o presidente da Comissão de Segurança, Reinaldo Meirelles, que solicitou também ao comandante do 15ºBPM que intensifique as operações nas vias de acesso à BR-040 na Baixada, bem como a atuação do serviço de inteligência.

Participaram também da audiência pública, o tenente Odinei Teixeira, representante do 32º Batalhão de Infantaria Motorizado, o Secretário Municipal de Segurança Pública, coronel Luiz Cláudio Calixto Barbosa, o diretor de planejamento da NovAmosanta, Fernando Varela, o vice presidente da Associação dos Taxistas de Petrópolis, Evandro José de Oliveira, e os vereadores, Luizinho Sorriso e Ronaldo Ramos (Pros), e Roni Medeiros (PTB). A Polícia Rodoviária Federal e a Concer não encaminharam representantes.

Comentários