Palácio Amarelo estará aberto à visitação no feriado com exposição de esculturas


Importante equipamento turístico da cidade, o Palácio Amarelo, um dos mais valorizados exemplares da arquitetura do século XIX situados no Centro Histórico de Petrópolis, estará aberto à visitação durante o feriado pelo Dia de Colono Alemão  - 29 de junho. Além de conhecer o prédio, que é valorizado pela importância histórica e cultural, visitantes poderão ver de perto esculturas de biscuit feitas da artesã petropolitana Regina Straub. O trabalho minucioso da artesã, exibido em 14 mini esculturas, ganhou visibilidade na abertura do programa “Tapas e Beijos” da Rede Globo. A exposição, que seria encerrada neste domingo (28), foi prorrogada até o dia 30 para que mais pessoas possam conhecer o trabalho da artista.

“O Palácio Amarelo já faz parte do inventário turístico da cidade. A exposição das esculturas, assim como tantas outras atividades culturais que temos implementado na Câmara, é um atrativo a mais. No feriado de Corpus Christi, recebemos aqui mais de 500 pessoas. A partir desta sexta-feira, quando tem início a Bauernfest, Petrópolis receberá uma quantidade ainda maior de turistas e visitantes. É importante que tenhamos uma boa infraestrutura para recepcionar estas pessoas. Abrindo as portas do Palácio Amarelo a Câmara dá a sua contribuição para fomentar o turismo, que gera empregos e é uma atividade essencial para a economia do nosso município”, avalia o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor (PMDB). A expectativa da Fundação de Cultura e Turismo é de que 230 mil pessoas visitem Petrópolis durante os 10 dias da 26ª Bauernfest.

Até o fim da alta temporada em agosto, período em que a cidade sediará dois festivais de inverno que incrementarão as atividades culturais, com shows e apresentações de espetáculos teatrais e musicais, mais de 765 mil turistas e visitantes são esperados na cidade.

Desde que abriu as portas aos turistas, em 2009, o Palácio Amarelo já recebeu mais de 43 mil visitantes nacionais e estrangeiros. Somente nos primeiros 20 dias deste mês mais de mil pessoas visitaram o solar. “O Palácio Amarelo fica no coração do Centro Histórico, próximo ao Museu Imperial e a Catedral São Pedro de Alcântara, é um prédio de grande visibilidade no contexto histórico e cultural de Petrópolis. Manter esta estrutura para recepcionar os turistas é um dever da Câmara”, considera Paulo Igor.

No interior do prédio, chama atenção o plenário com teto coberto por madeira, gesso e uma pintura que encanta os visitantes. A decoração do Salão Hermogênio Silva – onde hoje são realizadas as sessões plenárias - é considerada a mais bela do gênero e leva a assinatura do escultor Henrique Levy.

"Petrópolis, com seus prédios históricos e os legados, arquitetônico e cultural deixados pela família Imperial, tem vocação para o turismo. O que pudermos fazer para que o visitante fique por mais tempo em nossa cidade, deve ser feito”, pontua Paulo Igor.

No prédio, a recepção é feita por guias bilíngues, que orientam a visita e fornecem informações sobre a história do solar. O Palácio Amarelo fica na Praça Visconde de Mauá – Centro.  A visitação, gratuita, pode ser feita diariamente das 10h às 17h. “Abrindo as portas do Palácio, a Câmara incentiva o resgate da história de Petrópolis e contribui para o turismo. Nosso objetivo é oferecer às pessoas que chegam à Petrópolis uma recepção diferenciada. Manter esta estrutura funcionando é uma forma direta de incentivo ao turismo", afirma o presidente da Câmara.

Esculturas em biscuit retratam personalidades

As 14 esculturas da artista plástica Regina Straub  estão expostas no hall de entrada do Palácio Amarelo. A exposição pode ser visitada até o dia 30. Além das esculturas de noivos, que ganharam visibilidade por serem usadas por Hans Donner na abertura do programa global “Tapas e Beijos”, chamam atenção as peças que retratam personalidades, como o Papa Francisco, a apresentadora Ana Maria Braga, e o jogador Ronaldinho Gaúcho.  “Para a abertura de cada ano do programa Tapas e Beijos, tive que fazer dez casais de noivinhos. No último ano, eles usaram efeitos de computador para dar movimento aos bonequinhos”, conta Regina, que teve o trabalho exibido em aberturas das cinco temporadas do programa, e foi indicada pelo SEBRAE como uma das 50 empreendedoras de sucesso do Brasil.

O material trabalhado por Regina é o biscuit, uma massa modelável de cola branca e amido que depois de seco assemelha-se a uma porcelana. A artesã trabalha com formas realistas, se destacando pelos “topos de bolos” que retratam noivos e debutantes. A riqueza de detalhes, e o perfeccionismo das peças fez com que a artesã tivesse trabalhos enviados para países como Japão, Itália e França.

 Fotos: José Paulo/ ASCOM CMP