Gilda Beatriz defende o cancelamento definitivo da licitação para subconcessão de estacionamento rotativo



A licitação para subconcessão do serviço de estacionamento rotativo em Petrópolis marcada para segunda-feira (22) foi adiada pela quarta vez, após liminar da 4ª Vara Cível de Petrópolis. Após o anúncio, a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), voltou a fazer duras críticas à licitação.

“Já deixei claro em diversas oportunidades que sou contra esta licitação. É um absurdo falar em R$94 milhões para os estacionamentos rotativos sem defender a recuperação da CPTrans e a manutenção dos empregos com a profissionalização da gestão. Não existe um estacionamento na cidade que não ganhe dinheiro, o ideal é entregar a empresa nas mãos de pessoas técnicas buscando uma gestão com menos influência política. Petrópolis precisa da CPTrans funcionando bem, e não de outra empresa explorando os rotativos.  Agora, uma empresa participante da licitação, reclama que apresentou recursos à CPTrans e que foram rejeitados, além de ter encontrado pontos que feriam a legislação que rege sobre o sistema de licitações no país. Isso precisa ser apurado. Depois de ser cancelado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) em duas oportunidades e ser postergado na última semana a pedido de uma das empresas interessadas, agora foi uma liminar que impediu o recebimento de ofertas. O melhor agora seria cancelar a licitação”, pontua Gilda Beatriz. 

O juiz Jorge Martins, da 4ª Vara Cível de Petrópolis, estabeleceu um prazo de cinco dias para a CPTrans comprovar a regularidade do processo licitatório.

Comentários