Campanha marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa



Ontem, 15 de junho, foi comemorado o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data, instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), visa sensibilizar a sociedade em prol do combate à violência contra idosos e a disseminação do entendimento da violência como violação aos direitos humanos. Em Petrópolis, a vereadora Gilda Beatriz (PMDB), Presidente da Comissão da Pessoa com Deficiência e do Idoso, passou o dia no calçadão do Cenip, no Centro, distribuindo o Estatuto do Idoso, folhetos e conversando com moradores sobre a importância dessa data.

“Todos os anos levamos às ruas esta campanha de conscientização com objetivo de criar uma consciência social e política da existência da violência contra a pessoa idosa, e, simultaneamente, disseminar a ideia de não aceitá-la como normal. Distribuímos o Estatuto do Idoso, cartilhas e folhetos sobre os direitos dos idosos, especialmente com relação à agressão física. Porém, não devemos esquecer que a violência que muitos idosos sofrem é moral, pelo desrespeito aos seus direitos. O descuido é caracterizado pela omissão dos familiares ou instituições responsáveis pelos cuidados básicos para o desenvolvimento físico, emocional e social da população a partir dos 60 anos. A negligência caracteriza-se de diversas formas como: privação de medicamentos, descuido com a higiene e saúde, ausência de proteção contra o frio e o calor”, explica a vereadora.

Qualquer tipo de violência deve ser denunciada. Para isso, a Secretaria de Direitos Humanos conta com o serviço do Disque 100 para acolher denúncias. Trata-se de um serviço gratuito, que funciona 24 horas por dia. A identidade de quem denuncia é preservada.

“Para garantir o envelhecimento da população de forma saudável e tranquila, com dignidade, sem temor, opressão ou tristeza, precisamos trabalhar intensamente na prevenção da violência e na identificação e no encaminhamento correto de casos de violência e, em especial, temos que preparar as novas gerações com informações, materiais e recursos educacionais, de forma a assegurar um envelhecimento digno e saudável”, completa Gilda Beatriz.

No Brasil, a população passa por uma profunda mudança em suas características demográficas, principalmente com o crescimento expressivo das pessoas com mais de 60 anos - em especial do subgrupo de mais de 80 anos. Existem quase 20 milhões de pessoas idosas no país. Isso representa 11% da população, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Projeções mostram que em 2050 haverá duas vezes mais idosos do que crianças no Brasil.

Comentários