Assaltos voltam a assustar moradores em Petrópolis



Os assaltos a pedestres começam a tomar proporções até bem pouco tempo inimagináveis no município. Na última semana, duas pessoas que conheço foram assaltadas no Centro de Petrópolis. A primeira, minha amiga protetora dos animais, Thais Kapps.
O crime aconteceu pela manhã no dia 03, quarta-feira, próximo a Catedral São Pedro de Alcântara. Dois homens brancos, bem vestidos e armados, renderam à moradora e levaram o dinheiro do plano de saúde.  O caso foi publicado em nossa página oficial no facebook no mesmo dia.

Preferindo não se identificar, a vítima do segundo crime foi um jovem morador de Nogueira, meu vizinho, que teve a mochila e seu aparelho celular roubados, próximo a Praça do Skate, também no Centro. 
Em comum, nenhum dos criminosos pagará por seus crimes, os casos não foram denunciados a polícia. Não faço julgamentos, também já fui vítima de um assalto fora da cidade e cada pessoa sabe o trauma e a sensação de impunidade quando o caso não tem solução. 

Em Petrópolis, temos a nosso favor uma polícia de competência reconhecida nacionalmente, mas que infelizmente, trabalha em vão se a vítima não denunciar. O cidadão não tem muito que fazer, a não ser tomar certos cuidados e, principalmente, registrar queixa que é onde começa o trabalho da polícia para tirar o delinquente da rua.

As pessoas precisam entender que Petrópolis mudou. Não é mais provinciana. É uma ebulição de gente chegando e gente saindo. E isso faz com que tenhamos que ter precauções que antes não precisávamos. 

Número de roubos nas ruas cresceu 
70% de janeiro a abril

O número de roubos de rua deu um salto em relação aos quatro primeiros meses de 2014. Entre janeiro e abril foram registrados 29 casos na cidade contra 17 do ano passado. Um aumento de 70%. O índice leva em conta os roubos a transeuntes, em ônibus e de aparelhos celulares – neste caso não são inseridos os assaltos a carros e residências, por exemplo. O volume é maior do que a meta de 17 casos para o semestre, estabelecida pelo Sistema Integrados de Metas – SIM, do Instituto de Segurança Pública – ISP, órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Estado – Seseg.

Segundo matéria do jornal Tribuna de Petrópolis de maio de 2015, apenas os roubos a transeuntes somaram 23 ocorrências registradas nas delegacias do Retiro (105ªDP) e Itaipava (a 106ªDP). No ano passado, o acumulado dos quatro meses foi de 15 casos, um aumento de 53%. Os casos de roubo dentro de coletivos dobraram (de dois para quatro). Já os roubos de aparelhos celulares, crimes que não tiveram nenhum registro em 2014, agora são dois em 2015. Na prática, no ano passado, um desses três tipos de roubo era registrado a cada oito dias. Este ano passou a ser um caso a cada quatro dias, números que ainda estão bem melhores do que a média estadual – em todo o ano passado o total de roubos de rua chegou a 95 mil casos, ou seja, uma pessoa era roubada a cada 5 minutos e 30 segundos.

Número de prisões e apreensões de 
armas e drogas também cresceu

O levantamento de janeiro a abril aponta ainda o crescimento da atividade policial. No ano passado 189 pessoas foram presas. Este ano, o acumulado chega a 194 (mais 2,64%). Também aumentou o número de apreensões de drogas – 195 ocorrências contra 154 registros de 2014 (mais 26,62%). O número de armas apreendidas saltou de 22 para 28 registros (27,27%), o de carros recuperados de 43 para 46 (6,97%) e o de cumprimento de mandados de prisão passou de 113 para 140 (mais 23,9%). O volume de registros de ocorrências saltou de 2.789 para 2.983 (mais 6,95%).

Comentários