Um dos mais antigos da cidade, BNH do Alto da Serra inicia reforma



Com 42 anos de fundação que serão completados no dia 29 de junho, o Grão Pará, condomínio popular do Alto da Serra, inicia reforma no segundo semestre.  Nesta segunda-feira (18.05) à noite, o secretário estadual de Habitação, Bernardo Rossi, esteve reunido com os moradores para apresentar a obra. O encontro encerra série de reuniões nos quatro conjuntos que são reformados este ano dentro do projeto De Cara Nova, do governo do estado.

O programa consiste na reforma das áreas comuns dos condomínios como fachada, telhado e esgotamento sanitário. As intervenções são feitas de acordo com as necessidades de cada um deles e nenhum imóvel é reformado internamente.  “O objetivo é preservar as moradias populares existentes. Todos são conjuntos construídos há 20, 30 e até 40 anos que nunca passaram por uma revisão estrutural, só por melhorias – na maior parte das vezes em pintura e iluminação – feita pelos próprios moradores”, explica Bernardo Rossi. 

A meta da secretaria é manter os conjuntos evitando o deslocamento de moradores para construções menos adequadas e ainda valorizar as áreas de entorno destes condomínios estimulando a construção de unidades particulares.  “Normalmente, os conjuntos são referência nos bairros onde estão instalados e de acordo com a quantidade de moradores todo um comércio e prestação de serviços acabou se instalando ao seu redor. A reforma de um conjunto significa também manter esses empreendimentos e garantir atração de novas moradias para estes locais”, completa o secretário de Habitação. 

Desde a sua inauguração, o BNH Grão Pará, com 576 famílias distribuídas em 36 blocos nunca passou por uma revisão estrutural.  As obras estão orçadas em R$ 1,8 milhão. “É um dos mais antigos e populosos da cidade”, diz a síndica Tânia Mara Figueira Sacchetto que mora no local desde a fundação do condomínio. “Moradores estão comemorando a intervenção do estado e temos visto em outros locais que as reformas melhoraram os bairros”, aponta a síndica.

Comentários