quarta-feira, 8 de abril de 2015

PRF garante efetivo na BR-040 nos feriados e temporada de Inverno



A Polícia Rodoviária Federal garantiu policiamento efetivo nas pistas de subida e descida da serra de Petrópolis nos próximos feriados – Tiradentes e São Jorge – e na alta temporada de Inverno. Em reunião na superintendência da PRF na manhã desta terça-feira (07.05),  o deputado estadual licenciado, Bernardo Rossi, solicitou presença de efetivo na estrada para o período quando a cidade recebe mais de 400 mil visitantes. A construção de um novo posto na atual pista foi descartada pela concessionária que administra a vida e a os 44 quilômetros de descida e subida da serra serão policiados 24 horas por quatro agentes em duas viaturas.

“A obra da nova pista não pode prejudicar a segurança da cidade. Além dos visitantes, Petrópolis tem perto de 40 mil pessoas trafegando diariamente pela estrada”, aponta Bernardo Rossi. De acordo com o superintendente da PRF, o policiamento em deslocamento ao longo das pistas de subida e descida continuará sendo adotado até a construção da nova pista de subida da serra.  Demolido há mais de um mês em decorrência das obras da nova pista de subida da serra, o posto do Belvedere não vai ser recomposto.   “O posto do Quitandinha está sendo recuperado,  já é usado como base e quando a nova pista estiver pronta serão construídos dois novos postos”, disse.

A PRF está recebendo R$ 400 mil em equipamentos e viaturas. Os recursos são oriundos de excedentes da tarifa de pedágio e serão destinados à polícia por meio de convênio. Bernardo Rossi, no entanto, quer que um percentual fixo da tarifa seja direcionado à PRF e que a mudança seja efetivada em contrato. Concessões de rodovias federais chegam a repassar anualmente à PRF mais de R$ 1,5 milhão.

“A empresa que explora a rodovia lucra com a estrada. É fundamental que ela também contribua para a segurança da BR-040”, considera Bernardo Rossi. O deputado estadual licenciado se refere, além da coibição de crimes,  ao atendimento em casos de acidentes.  “Nosso acesso não são apenas os 20 quilômetros de subida da serra e os 20 de descida. O deslocamento passa pela Baixada Fluminense. A PRF poderia estar bem equipada e com mais policiais se a empresa que administra e lucra com a estrada revertesse parte do pedágio para a segurança”, aponta Bernardo Rossi.

Além da reunião com o superintendente da PRF, Bernardo Rossi oficiou a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que regula a concessão, pedindo a revisão contratual com a Concer estabelecendo percentual fixo de repasse da tarifa de pedágio à PRF.

Nenhum comentário: