Defensoria Publica fiscaliza Pronto Socorro de Petrópolis, no RJ



G1: Uma série de irregularidades foram verificadas pela defensoria pública no Pronto Socorro Nelson de Sá Earp em Petrópolis, Região Serrana do Rio, na tarde desta terça-feira (14). Em visita surpresa à unidade, que durou uma hora e meia, a titular do núcleo civil do município, Andréa Carius pode constatar às denúncias feitas contra o espaço. De acordo com ela, esse é um procedimento preparatório para ação civil publica.

Segundo ela, em janeiro, a defensoria já havia oficiado o município para que obras fossem realizadas no espaço para resolver alguns problemas, como infiltrações, pisos rachados, enfermaria precária, além de uma intervenção no Centro de Recuperação de Adultos (CRA), mas apesar de existir um projeto para a unidade, nenhuma obra, se quer, começou a ser feita.

“A unidade chegou a suspender o atendimento para novos casos nesta terça. Todas as macas estavam ocupadas, inclusive as da sala de psiquiatria. Um homem que foi levado pelo SAMU não conseguiu ser atendido porque não havia espaço. Ali, dois pacientes estavam aguardando vagas para UTI (Unidade de Tratamento Intensivo). Pelo que pude perceber, 90% dos pacientes são idosos. É lamentável essa situação”, explicou a defensora pública.

Em entrevista ao G1, Andréa informou que vai oficiar as demais urgências da cidade para apurar a situação de todas ela. “Se for constatado que hoje (terça) todas elas estavam com 100% de lotação, será necessário que o município amplie o serviço de emergência”, finalizou.

Por nota, a Secretaria de Saúde, responsável pela unidade confirmou que já iniciou a elaboração do projeto de reforma do Hospital Municipal Nelson de Sá Earp, que irá contemplar o Centro de Reabilitação de Adultos (CRA), os banheiros e corredores, a ala de psiquiatria, a lavanderia, o refeitório, a cozinha, sala de raio X, rouparia, expurgos, laboratório e salas de telefonia, de descanso da equipe médica e de enfermagem.
A nota explicou, ainda, que a Prefeitura também trabalha na reforma e ampliação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Nelson de Sá Earp. Segundo eles, mais de 90% das obras estão concluídas.

“A prefeitura, por meio da Secretaria de Saúde, já solicitou ao governo do Estado a cessão de equipamentos para estruturar o setor. Após a conclusão dos trabalhos, a unidade passará de sete para 10 leitos de UTI. As intervenções estão sendo realizadas sem que haja paralisação do serviço, pois os leitos de UTI foram transferidos para um novo espaço construído no Hospital Alcides Carneiro (HAC). Consciente da importância do setor de saúde para a cidade, a prefeitura destaca que vem investindo 35% do orçamento na área, enquanto o previsto por lei corresponde à metade deste percentual. Atualmente, o governo municipal já financia mais de 60% do sistema público de saúde da cidade”, finalizou a nota.

Comentários