domingo, 12 de abril de 2015

Câmara de Vereadores apoia reivindicações da Guarda Civil



Uma das mais antigas do Estado - com 91 anos - a Guarda Civil Municipal recebeu apoio da Câmara de Vereadores para conquistar melhorias salariais e de equipamentos. Hoje, com 268 homens em 24 viaturas para cobrir um patrimônio de 75 prédios históricos no Centro da Cidade e uma ronda escolar de 182 unidades e 50 mil alunos, a Guarda reclama do corte de horas extras e de equipamentos, inclusive fardas. O corte nos adicionais representa redução de efetivo nas ruas.

“Estamos cobrando da prefeitura uma repostas rápida às reivindicações da categoria”, aponta o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor (PMDB).

Além do corte nas horas extras, guardas municipais dizem que desde 2011 a corporação não recebe fardamento novo. Eles reclamam ainda da insuficiência de equipamentos de proteção individual e comunicação, falta de manutenção nas viaturas e cobram o cumprimento de acordo coletivo de trabalho firmado em junho do ano passado. Atualmente, a corporação dispõe de aproximadamente 150 que atuam em regime de escala nas ruas da cidade.

“A Guarda Civil tem um papel importante em qualquer município, mas numa cidade histórica e turística como Petrópolis ela deveria ser ainda mais valorizada. É destes agentes a responsabilidade pela guarda dos prédios públicos, que em muitos casos recontam a história da nossa cidade. A fiscalização de bens públicos, praças e monumentos também é uma atribuição deles. O policiamento ostensivo é uma responsabilidade da Polícia Militar, mas é a Guarda Civil, quem zela pela preservação dos bens públicos. Muitas vezes a Guarda intervém e impede atos de vandalismo, contribuindo para a preservação do patrimônio da cidade. A Câmara apóia as reivindicações apresentadas por eles, por entender a importância do trabalho destes profissionais para a nossa cidade”, diz o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor.

Ele lembra que a presença da Guarda também é importante para o turismo de Petrópolis. “A Guarda Civil nas ruas aumenta a sensação de segurança para os visitantes. Em uma cidade com a nossa, em que é possível fazer um circuito turístico a pé, e os guardas são um instrumento importante de apoio. Eles  auxiliam os visitantes, fornecem orientações e muitas vezes direcionam os turistas”, considera.     

Além da precariedade na estrutura de trabalho, a Guarda Civil reivindica análises de enquadramentos de acordo com o PCCS da administração direta e fundações, entre outras reivindicações. “A Guarda Civil está pedindo socorro praticamente. Para o último concurso, o município exigiu graduação em nível médio, mas até hoje os vencimentos dos guardas correspondem aos de graduação de ensino fundamental. Há três anos eles não recebem fardas novas. A corporação trabalha hoje com um efetivo próximo a metade do ideal. A defasagem de pessoal era compensada com as horas extras, o que não vai mais acontecer. Com o fim das horas extras o salário deles será reduzido. É uma situação insustentável. O Legislativo não poderia deixar de apoiar a categoria. Estamos indo ao prefeito e confiamos que esta situação será resolvida”, disse o vereador Reinaldo Meirelles (PTB), que tem  experiência de 25 anos na área de segurança. “A Guarda Civil é uma corporação que dá uma contribuição importante para a segurança pública da nossa cidade”, afirma. 

Nenhum comentário: