quinta-feira, 9 de abril de 2015

Audiência pública vai reunir autoridades para discutir destino de população de rua



Principal reclamação apresentada por moradores e comerciantes que participaram da sessão itinerante do Legislativo em Correas, na noite de terça-feira (7), a permanência de moradores de rua na principal praça do bairro será discutida em uma audiência pública no dia 11 de maio, às 19h, na Câmara de Vereadores. Denúncias sobre moradores de ruas que consomem bebidas alcoólicas, fazem as necessidades fisiológicas na praça e praticam atos obscenos à luz do dia no espaço público, foram apresentadas aos vereadores durante o projeto “Câmara na Comunidade”, que reuniu mais de 100 pessoas na Escola Josemar Contage.

 “Há mais de um ano o vereador Silmar Fortes (PMDB) vem cobrando aos órgãos públicos, como a Secretaria de Trabalho Assistência Social e Cidadania (Setrac), providências em relação à população de rua. Na sessão itinerante de ontem este foi o principal motivo de reclamação. Entendemos que estas pessoas precisam de assistência e auxilio por parte do poder público. Não é possível que a situação continue como está. A praça é um espaço de lazer para crianças e moradores. Por iniciativa do Silmar estamos agendando a audiência pública que reunirá todos os agentes  envolvidos neste assunto. Vamos discutir esta  questão e buscar uma solução”, anuncia o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor (PMDB).

“Temos órgãos públicos específicos para cuidar da população de rua, como a Setrac, o Núcleo de Integração Social (NIS). Existe o consultório de rua que agora oferece atendimento a estas pessoas, temos uma casa na Rua Floriano Peixoto que pode recebê-los,  enfim, existem meios  para cuidar da população de rua. O que nos parece é que falta interlocução entre os órgãos para que isso funcione de forma adequada. É preciso que se saiba qual é a competência de cada órgão e que cada um deles faça sua parte”, complementa o vereador Silmar Fortes, que é também integrante da Comissão de Direitos Humanos na Câmara.
Além dos agentes das áreas de assistência social e saúde, serão chamados a participar do debate, representantes OAB-Petrópolis e de órgãos de segurança, como Polícia Militar e Guarda Civil Municipal.         
Durante a sessão itinerante na noite de terça-feira, moradores de Correas manifestaram também preocupação com a questão da mobilidade urbana, frente ao crescimento de empreendimentos imobiliários na região. Foram apresentadas ainda, reclamações quanto ao atraso de mais de um ano nas obras da Escola Municipal Sérgio Ribeiro Rocha, em Nogueira. “Levando a plenária para dentro da comunidade facilitamos o acesso da população aos vereadores. O projeto “Câmara na Comunidade” vem sendo muito positivo. Percebemos a participação da população, identificamos as prioridades de cada bairro e podemos cobrar que os problemas apontados pelos moradores sejam solucionados”, pontua Paulo Igor.
Produtores rurais da região do Bonfim reclamaram sobre freqüentes interrupções no serviço de telefonia fixa e móvel, o que prejudica o desenvolvimento do setor. “Eles lembraram que o Estado, através do ITERJ (Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro) vem dando um importante apoio à produção rural, mas reclamaram do sistema de telefonia, que chega a ficar por até 15 dias sem funcionar após períodos de chuva. A dificuldade  de comunicação compromete o escoamento da produção daquelas famílias e por  consequência, a economia da região”, frisa, Paulo Igor.  
O projeto "Câmara na Comunidade" foi retomado no mês passado, com uma sessão que reuniu mais de 150 moradores no distrito da Posse. Até o fim do ano, outras nove sessões itinerantes serão realizadas. As próximas edições estão marcadas para os dias 28 de abril, 19 de maio, 09 e 30 de junho, 18 de agosto, 10 e 29 de setembro, 20 de outubro e 10 de novembro. Os locais ainda serão indicados pelos vereadores.


créditos das fotos José Paulo/AscomCMP
   
         
   

Nenhum comentário: