Vereadora denuncia situação do Curral de Apreensão de Animais de Petrópolis


Uns na ativa, outros abandonados e muitos maltratados, esta é a triste realidade de boa parte dos cavalos vistos perambulando pelas ruas de Petrópolis não é de hoje. No último dia 04/03 a vereadora Gilda Beatriz (fotos divulgadas na página oficial da legisladora) trouxe de volta o tema que mexe com ânimos de defensores dos animais, vereadores e membros do atual governo que esta na metade do terceiro mandato.


Anunciada sua reforma em fevereiro de 2014, o Curral de Apreensão de Animais de Petrópolis foi fiscalizado (março de 2015) pela legisladora peemedebista acompanhada da representante da ONG AnimaVida, Srª. Ana Cristina Ribeiro e da Drª. Elisabeth Amorim, Presidente da Comissão de Defesa dos Animais da OAB-Petrópolis. 

O resultado da visita foi divulgado pela vereadora Gilda Beatriz em sua página oficial na rede social facebook: 

“Ontem estive mais uma vez no curral de apreensão de animais em Itaipava, junto com a representante da Animavida, Srª. Ana Cristina Ribeiro e com a Drª. Elisabeth Amorim, Presidente da Comissão de Defesa dos Animais da OAB-Petrópolis.
É impressionante. A cada ida ao curral de apreensão fico mais abismada e descrente desse governo e dos órgãos municipais de proteção animal, notadamente a Coordenadoria de Proteção Animal. 

Bem, pra começar a obra ainda não está pronta. A primeira vez em que estive lá foi em abril, e a obra estava quase pronta! Praticamente 1 ano se passou e a obra ainda não acabou.
O piquete, onde os cavalos devem permanecer durante o dia, está com várias aberturas, então os cavalos apreendidos ficam confinados nas baias dia e noite.
Já há dois plantões atrás, o reboque para resgate dos animais, soltou do veículo e bateu em um carro. Felizmente não houve feridos, mas já alguns dias nenhum cavalo pode ser resgatado. 
E o pior: não existe água no curral de apreensão!


A água é cedida pelo cemitério municipal. Não existe caixa d’água, nem bebedouro, nem filtro para os funcionários da guarda municipal.

Quanto aos cavalos, os guardas têm que carregar água para os animais e limpeza das baias, pois a mangueira que vem do cemitério desemboca no tanque do alojamento dos guardas e fica longe das baias. Vou tomar todas as medidas cabíveis, especialmente oficiar o ministério público de tutela do meio ambiente para que essa situação crítica seja solucionada. ” Declarou. 

Sem sucesso na tentativa de contato com autoridades locais, nossa equipe encontrou a resposta divulgada pela Prefeitura de Petrópolis para o Portal R7 sobre casos que chocaram a cidade em 2013, dois anos depois, deixo aberto o espaço para nossa estimada médica veterinária chefe do Núcleo de Bem-Estar Animal, Rosana Portugal divulgar nota oficial sobre a denuncia da vereadora do PMDB.
blogdoeduardoferreira@gmail.com


Por e-mail, Gilda Beatriz convidou toda a população para debater o tema junto ao legislativo em reunião com as ONG's Protetoras de Animais e a Presidente da Comissão de Defesa dos Animais da OAB-Petrópolis, 2ª feira (09/03) às 16 horas, na Câmara Municipal de Petrópolis, para discutir os problemas vistos no curral de apreensão de Itaipava.





Comentários