Secretaria estadual de Habitação participa do “Fale com a Gente”



O secretário estadual de Habitação, Bernardo Rossi, participou esta semana das duas primeiras edições do Fale com a Gente, em Belford Roxo e Nova Iguaçu, na terça (03.03) e quinta-feira (05.03), respectivamente. Ao lado do governador Luiz Fernando Pezão, Rossi participou do atendimento ao público feito por todos 29  órgãos estaduais. O programa, iniciado na Baixada Fluminense, é uma iniciativa do estado com o objetivo de manter diálogo direto com a população.
“Todo mês, pelo menos duas cidades fluminenses serão visitadas por Pezão e representantes de secretarias e órgãos do governo do estado. Queremos que Petrópolis seja uma das próximas cidades a sediar o programa. Essa aproximação com o governador é importante para o nosso município”, afirma Bernardo Rossi.

O atendimento da secretaria incluiu a presença de técnicos da Companhia Estadual de Habitação (Cehab) e do Instituto de Terras e Cartografia do Rio de Janeiro (Iterj), braços operacionais da pasta. “Fundamental ouvir diretamente as demandas da população. Esse contato é que norteia as ações do governo. O governador Pezão acertadamente orienta que todos os órgãos da administração tenham essa proximidade”, aponta Bernardo Rossi.

As cidades de Belford Roxo e Nova Iguaçu receberam investimentos de R$ 25 milhões na reforma de oito conjuntos habitacionais; R$ 1,8 milhão em infraestrutura em assentamento rural e ainda 952 títulos de regularização fundiária. Outros 819 títulos de posse de imóveis estão em andamento e na área o investimento total do Iterj nestes municípios é de aproximadamente R$ 1 milhão.

- Iniciamos agora no Fale com a Gente em Nova Iguaçu o processo de regularização fundiária de mais quatro conjuntos: Tertuliano Potyguara, Grão Pará I e Grão Pará II e Sítio Dom Bosco. Eles foram construídos na década de 70 e agora os moradores vão ter a posse de seus imóveis. Este trabalho é uma parceria da Cehab com o governo municipal e vai dar a segurança de moradia definitiva para 4.020 famílias”, aponta Bernardo Rossi.

Comentários