Maricá será a melhor rede de ensino municipal do estado, afirma William Campos



William Campos ex-secretário de Educação em Petrópolis no governo passado, comemora seus primeiros dois meses à frente da educação em Maricá com a promessa de complementar as conquistas do governo de Washington Luiz Cardoso Siqueira (Quaquá) presidente regional do Partido dos Trabalhadores. “Agradeço a Deus pela oportunidade de estar à frente da educação de Maricá. Nesses dois meses já deu para sentir que o trabalho é intenso, mas a equipe é contagiante!

Depois de tudo que foi feito em 6 anos, tenho a certeza, que chegou a hora de buscarmos a posição de melhor rede de ensino municipal do RJ e uma das vinte melhores do Brasil.

Estou convicto e preparado para construir esse sonho de uma EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QUALIDADE SOCIAL E LIBERTADORA! OBRIGADO PREFEITO WASHINGTON QUAQUÁ!” Declarou.


Em Petrópolis, William Campos destacou-se por conquistas como a valorização e reformulação da Educação Infantil, a elaboração, negociação e implantação  do PCCS, implantação de 123 laboratórios do Proinfo, implantação do programa Mais Educação em 58 escolas, fortalecimento da Educação especial com a criação da Escola Paulo Freire, implantação da Prova Petrópolis, criação das provas de seleção para o Liceu e Cepec, criação do Conselho Municipal de Educação Deliberativo, ouvidoria, do site e do blog da Educação, melhorando a relação com a população e do Concurso Público para a Educação, incluindo o professor para Educação infantil.

A história de fracassos dos últimos anos da educação petropolitana nos mostra que não basta ser educador ou administrador para comandar a pasta, em Maricá, coração político do PT no Estado, William Campos encontrou a liberdade para trabalhar ao lado de lideranças como o prefeito Washington Quaquá, a nova estrela do PT Rosângela Zeidan deputada estadual mais votada pelo partido, e Lurian Silva, filha do ex-presidente Lula. 

Para conseguir recursos e projetos é preciso conhecer os caminhos do poder principalmente em Brasília. O relâmpago de progresso em 2011 nos deixou essa lição ignorada até hoje pelos coronéis da política local.