quinta-feira, 26 de março de 2015

Ex-comandante denuncia abandono da Guarda Civil de Petrópolis


Criada em 12 de julho de 1924, a Guarda Civil de Petrópolis foi o resultado de um pedido popular pela necessidade de um melhor policiamento nas ruas de Petrópolis, que garantisse mais tranquilidade à população. Hoje, 91 anos depois, a Guarda Civil vive um drama ainda desconhecido pela população petropolitana, motivo de orgulho nas ruas, os servidores passam uma luta diária para manter um trabalho digno a serviço da cidade sem uma estrutura mínima para desempenhar suas atividades. (foto: coturno de um Guarda Municipal postado nas redes sociais)

Advogado, o ex-comandante da Guarda Maurício Borges falou com exclusividade sobre o assunto para o nosso blog: “ Com o batalhão em péssimas condições de conservação e sob possibilidade real de perder sua sede diante de aluguéis atrasados, a Guarda Civil de Petrópolis vem sendo perseguida pelo atual governo municipal.
Viaturas paradas por falta de manutenção, viaturas novas doadas pelo governo federal estragando no pátio e proibidas de rodar por falta de regulamentação do governo municipal. Sem fardamento, diversos guardas já trabalham com roupas comuns.
A retirada de horas extras e postos de serviços, substituídos por empresa contratada soma-se ao não cumprimento das leis que dão o direito a guarda de ter reconhecimento por nível de escolaridade (ensino médio). 
O governo municipal ainda não pagou as ações ganhas pela categoria na justiça, não promoveu os guardas que já tem direito por tempo de serviço e também não pagou os  proventos. Falta salário, equipamento, condição de trabalho e dignidade aos servidores! A possibilidade da retirada do abono salarial de R$ 100,00 já é outra preocupação dos servidores.
A Guarda foi substituída por uma firma particular no trânsito, hospitais e terminais rodoviários (transbordos). Se existe dinheiro para gastar com uma empresa, como não existe dinheiro para investir na Guarda?  É uma covardia do governo municipal humilhar uma instituição com mais de noventa anos de história simplesmente por ter contrariado seus interesses e discordados de tantos desmandos! Os servidores procuraram a justiça para buscar seus direitos que vem sendo descumpridos por esse prefeito covarde e mau-caráter!
O telhado do batalhão  esta quebrado e com vazamentos, a instituição tem viaturas paradas no pátio estragando sem emplacamento. Má gestão ou Má fé? Talvez simplesmente incompetência e uma vingança contra pais de família. O chefe do executivo municipal esqueceu o lema da guarda: Não somos uma simples presença, somos uma absoluta necessidade.” Desabafou o advogado e ex-comandante da Guarda Civil Maurício Borges.


O ESPAÇO NO BLOG ESTA ABERTO PARA NOTA OFICIAL DA PREFEITURA DE PETRÓPOLIS. blogdoeduardoferreira@gmail.com

Nenhum comentário: