Deputado quer retorno de Posto da PRF na subida da Serra de Petrópolis



A intensificação do policiamento e a imediata construção de um novo posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) para atender as pistas de subida e descida da serra estão sendo pedidas pelo deputado estadual licenciado Bernardo Rossi (PMDB) à superintendência da PRF e a concessionária que administra a BR-040, Concer. A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) também está sendo acionada para incluir no contrato que mantém com a Concer cláusula destinando parte do pedágio ao aparelhamento da PRF.

O pedido do deputado licenciado Bernardo Rossi está sendo feito em duas vertentes: pontualmente visando os próximos feriados da Semana Santa, Tiradentes e São Jorge, datas importantes para o turismo da cidade e de forma estruturante para que o policiamento retorne em definitivo. “O da PRF na altura do Belvedere foi demolido e já começaram os problemas de segurança na estrada como troca de tiros entre bandidos e polícia na altura do pedágio depois do roubo de uma carga de cigarros. O policiamento da estrada é importantíssimo para que a nossa cidade continue sendo atrativa pelo sua segurança”, afirma.
A cidade recebe a cada ano mais de um milhão de visitantes e pelo menos 100 mil pessoas só nos feriados da Semana Santa, Tiradentes e São Jorge. “No ano passado, neste período, a rede hoteleira teve 95% de lotação dos seus 4.100 leitos e só o Museu Imperial, em seis dias, recebeu 11 mil visitantes”, aponta. Para o deputado estadual licenciado é fundamental que a estrada ofereça segurança o ano inteiro e que ela seja reforçada de agora até o final do Inverno, alta temporada do Turismo na Serra.

Parte do pedágio deve ser usado na segurança da estrada

Destinar parte da arrecadação tarifária à segurança das estradas não é uma obrigação apenas das novas concessões, concluídas ano passado. Elas estão previstas em leilões feitos na época da concessão da BR-040, em 1995. A Concer, no entanto, não foi obrigada, a seguir a regra e o deputado Bernardo Rossi quer a revisão do contrato para incluir o benefício para a PRF.
“A construção de postos fixos para a PRF e aparelhamento da polícia rodoviária são itens previstos em contrato das antigas e novas concessões rodoviárias que devem ser incorporadas para a BR-040 no trecho Rio-Petrópolis-Juiz de Fora administrados pela Concer. O pedido já foi feito à agência reguladora e à Concer e consta de representação que ingressamos no Ministério Público Federal. A PRF poderia estar bem equipada e com mais policiais se a empresa que administra e lucra com a estrada revertesse parte do pedágio para a segurança. Não excluo a responsabilidade das forças policiais, mas a segurança neste caso também envolve quem opera, com lucro, a rodovia”, afirma Bernardo Rossi.
Contratualmente, a Concer deveria ter equipado a estrada com, além de radares, câmeras de monitoramento, considerados instrumentos que inibem a prática de crimes. A empresa deveria ter colocado em funcionamento 74 câmeras e trocado as 22 existentes em apenas 10 quilômetros da Baixada por novos equipamentos. O contrato também prevê seis sistemas de sensoriamento de tráfego com contagem de eixos e cinco sistemas de detecção de altura.