quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

CPI para apurar contrato com a Águas do Imperador ainda não saiu do papel


As redes sociais tornaram-se espaço de grandes debates e reclamações aumentando a voz da população em todo país, e Petrópolis não ficou de fora, uma das empresas mais ‘lembradas’ pelos petropolitanos na rede é a concessionária de água e esgoto do município a Águas do Imperador, alvo de reclamações diversas diariamente.

A concessionária atua desde 1998, quando assumiu a responsabilidade pelo fornecimento de água e pela rede de esgoto, serviços até então prestados diretamente pelo governo municipal. No final do ano passado (2014) a Câmara Municipal de Petrópolis levantou através de um pedido do líder do governo vereador Thiago Damaceno a possibilidade de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) – para apurar possível irregularidade na prorrogação do contrato do Consórcio Águas do Imperador, aprovado pelo governo Paulo Mustrangi.

Inicialmente, o objetivo da CPI é apurar se houve realização de audiência pública e/ou qualquer outro processo de consulta popular para respaldar tal decisão, já que o referido contrato prevê a ampliação do prazo concessório em mais 180 meses (15 anos). A Comissão será constituída de cinco membros, sendo que o pedido de sua instalação foi assinado por mais vereadores e terá o prazo de 90 dias para conclusão. Será? Até hoje nada... Ninguém mais falou sobre o assunto?

O tema permanece esquecido entre políticos e veículos de comunicação.

Através das páginas oficiais e e-mails, tentamos contato com o autor do pedido de CPI vereador Thiago Damaceno que não respondeu a nenhuma de nossas solicitações. Já o vereador Anderson Juliano, hoje líder da oposição, membro do alto escalão do governo Mustrangi na época, enviou apenas um e-mail explicando que apenas assinou o pedido de CPI e não quis comentar o caso sugerindo que a página busque uma declaração do autor do pedido.



Nenhum comentário: