Câmara de Vereadores de Teresópolis vai apurar acusações contra prefeito



Depois das denúncias de enriquecimento ilícito contra o prefeito Arlei Rosa, o presidente da Câmara Municipal de Teresópolis, Região Serrana do Rio de Janeiro, decidiu interromper o recesso da Casa. Ele quer discutir com os vereadores a melhor forma de apurar as acusações. Conforme mostrou com exclusividade o RJTV, o prefeito mantém uma fazenda luxuosa. Para o Ministério Público, que instaurou inquérito civil público para apurar o caso, o patrimônio de Arlei não é compatível com o salário que ele recebe.

Neste sábado (7), a reportagem do RJTV voltou ao haras mantido por Arlei em Sapucaia, na divisa do Rio com Minas Gerais. Depois de uns 20 minutos e muita insistência, um funcionário da propriedade atendeu à campainha e informou que o prefeito não estava.

Na sexta-feira (6), o RJTV mostrou que a propriedade tem piscina, casas de hospedes, lago com deck e pedalinho, além de uma coleção de animais exóticos e cavalos avaliados em R$ 100 mil reais cada.
O prefeito Arlei Rosa diz que só arrendou a fazenda, mas, segundo testemunhas, ele é o proprietário. O imóvel está na mira do MP. Para os promotores, o prefeito acumula um patrimônio muito maior do que o salário dele poderia comprar. Atualmente, ele recebe R$14,7 mil como prefeito de Teresópolis.
Segundo denúncia recebida pelo MP, a fazenda hoje vale R$ 3,5 milhões.

Em 2008, quando se candidatou a vereador, Arlei Rosa informou à Justiça Eleitoral que não tinha bens. Sem outra fonte de renda declarada, e quatro anos depois, ao disputar a prefeitura, afirmou ter bens que somavam mais de meio milhão de reais.

Agora, os promotores vão analisar as imagens da fazenda exibidas pelo RJTV.

“Eu vou somar isto a investigação que já está em curso e vou avaliar a possibilidade de ingressar com uma ação de improbidade. As imagens são fortes e não acredito que sejam compatíveis com os rendimentos declarados pelo prefeito”, disse o promotor Bruno Rinaldi.

Neste sábado, o presidente da Câmara de Vereadores de Teresópolis, Maurício Lopes, do PSL, afirmou que pretende convocar uma sessão extraordinária para discutir as acusações contra o prefeito.
Durante a semana, o prefeito não quis gravar entrevista. Por e-mail, declarou que adversários políticos espalham mentiras sobre ele e sobre seu patrimônio. Ele afirmou que o sítio foi arrendado, mas não revelou quem é proprietário, nem quanto paga de aluguel. Arlei apenas alegou que o valor é compatível com os próprios rendimentos.

fonte: G1