terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Polícia apela para que taxistas comuniquem assaltos



Estela Siqueira: Além de articular operações para combater assaltos a taxistas, o comandante do 26º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Marcelo Quinhões, voltou a frisar a importância da parceria da categoria – formada por 1.500 profissionais – e a polícia. “Os casos precisam ser comunicados imediatamente à PM ou a Polícia Civil. O policiamento estratégico e ostensivo depende dessas informações”, afirmou.  A reunião entre o comandante e diretores da Associação de Taxistas foi conduzida pelo deputado estadual licenciado Bernardo Rossi (PMDB).  O encontro, no Batalhão, foi realizado na manhã desta segunda-feira (12.01).

Bernardo Rossi destacou que a reunião fortalece o a comunicação entre a categoria e a polícia. “Petrópolis tem uma característica muito particular que é a interação da sociedade com a polícia. Mais uma vez o comandante recebeu a categoria para discutir o assunto e buscar as melhores estratégias para direcionar as ações”, defendeu.

De acordo com denúncias à imprensa, assaltos nos últimos meses teriam sido realizados contra taxistas na região dos bairros Carangola e Estrada da Saudade. Com medo de represálias, a categoria, segundo a polícia, não vem registrando queixas o que impede a identificação dos bandidos. Na sexta-feira pela manhã, um grupo de taxistas chegou a realizar um buzinaço no Centro da cidade reivindicando mais segurança.  

Quinhões explicou que apesar de oficialmente não haver registros de aumento deste tipo de crime na cidade diante das recentes notícias sobre casos, as ações de combate estão sendo intensificadas.
“Em contato com a Polícia Civil fomos informados que, assim como aqui, não há ocorrências registradas, mas estamos fortalecendo as ações. É importante que os taxistas denunciem como e onde estão acontecendo os assaltos. Com estes dados poderemos direcionar melhor as operações e prender os autores”, explica o comandante.

Em junho do ano passado, foram registrados pelo menos 20 casos de assaltos a taxistas com a detenção de quatro suspeitos graças à colaboração da categoria com denúncias à polícia. “Essa integração deve ser permanente. O nosso batalhão recebeu prêmio de melhor corporação do Estado no ano passado pelos baixos índices de criminalidade e parte deste resultado é  fruto da interatividade com a sociedade. O que precisamos é manter essa parceria”, prega Bernardo Rossi.

O presidente da Associação de Taxistas, Mário Guedes, diz que a falta de registros de casos também preocupa a entidade. “O comandante da PM e autoridades, como o Bernardo Rossi, sempre se mostram  solícitos às nossas necessidades, acompanham a situação e dão atenção à categoria. Sempre que tomamos conhecimento de algum caso na associação, informamos que é fundamental que a vitima procure a delegacia ou a PM e comunique o roubo para que a polícia possa agir, mas nem sempre isso acontece”, considera.  
   
As denúncias podem ser feitas pelo telefone 190, pelo Disque-Denúncia do 26º BPM (2242-8005)  ou pessoalmente na sede do Batalhão, no Quitandinha. “O ideal é que o registro seja feito na delegacia para que os crimes entrem na estatística. Mas, se a vítima preferir, ela pode fazer contato direto com a PM e comunicar o que está acontecendo. Isso deve ser feito imediatamente após o roubo ”, pontua Quinhões, destacando que a denúncia pode ser anônima.
Participaram ainda da reunião o vice-presidente da Associação, Evandro Oliveira e Norival Fraga da Ponte, membro da diretoria.

Nenhum comentário: