quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

ENTREVISTA COM DEPUTADO BERNARDO ROSSI PARA O JORNAL VOZ DA MOSELA



O deputado estadual Bernardo Rossi (PMDB) teve mais do que aprovado o seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e a prova desta afirmação veio diretamente da urnas: foram os 56.806 votos obtidos nas últimas eleições, realizadas em outubro.

A expressiva votação, além de conceder um novo mandato na casa legislativa, ainda rendeu a Bernardo o título de “deputado mais votado da história de Petrópolis”.

O deputado falou com exclusividade à coluna Cinco Perguntas, do Voz da Mosela, sobre sua reeleição, seus projetos para a cidade e também sobre a política nacional.

FICHA:

Nome completo: 
Bernardo Chim Rossi
Idade: 34 anos
Formação: Formado em 
Direito, pela UCP
Uma paixão: Minha família e minha cidade
O que não gosta: Não gosto quando me proponho a fazer um bom trabalho e o resultado não sai inteiramente como eu pretendia.
Um desejo: É um objetivo de vida: conseguir transformar a vida das pessoas com meu trabalho.
Uma mania: Conferir a hora a todo o instante para não chegar atrasado nos lugares.
Um ídolo: Meu pai, pela integridade, pelo que me ensinou na vida.

Voz da Mosela – O senhor obteve um total de 56. 806 votos, sendo que somente na zona eleitoral 35, que abrange as regiões da Mosela e do Bingen, além do Valparaíso e parte do Centro, foram 8.048 votos. A que atribui esta votação recorde?

Bernardo Rossi – É um orgulho para mim ter sido votado na Mosela e Bingen, assim como ter alcançado votação em todas as partes da cidade. É um orgulho, mas também muita responsabilidade ser o deputado mais votado na história da cidade com 56.806 votos. Ao ser eleito deputado estadual batalhei para que meu primeiro mandato fizesse a diferença no dia a dia da população e ser reeleito é a prova de que estamos no caminho certo.

Voz da Mosela – Quais as lições aprendidas nestes primeiros quatro anos na Alerj?

Bernardo Rossi – Petrópolis passou muitos anos sem ter uma representatividade no parlamento estadual. Foi um desafio grande resgatar essa representatividade e imprimir um trabalho que realmente fizesse diferença no dia a dia das pessoas. Procurei focar projetos e indicações pensando em nossa cidade e no estado como um todo. Procurei também levar a experiência de dois mandatos como vereador, um deles como presidente da Câmara, para a Assembleia Legislativa. E uma coisa que aprendi, não na Alerj, mas aqui na cidade, como vereador e não abro mão disso, é estar perto das pessoas. Estar ao lado da população, no dia a dia, é tão importante quanto ser atuante na Alerj.

Voz da Mosela – Quais são suas diretrizes e prioridades para o próximo mandato na Assembleia?

Bernardo Rossi – O desafio é ainda maior. Considero que este segundo mandato tem de ser ainda melhor que o primeiro, com mais projetos, mais indicações e trazendo mais recursos e programas do governo para a nossa cidade. Meu compromisso, neste segundo mandato, é superar o atual em trabalho e manter a dignidade que pautou cada ação, cada lei e cada recurso e programa que conquistamos para Petrópolis e para a região. Nesta campanha reafirmei meu compromisso com a defesa de leis que garantam o desenvolvimento econômico de Petrópolis. A diferenciação tributária especial para empresas que ocuparem fábricas abandonadas e o ICMS Turístico, segmento que é um dos pilares da economia da cidade, são projetos de lei já em curso Alerj. O governo avançou muito na área da Educação para a nossa cidade trazendo a UERJ, o CVT e garantindo mais 500 bolsas na UCP. Mas, também é preciso um trabalho em prol da economia.

Voz da Mosela – O senhor é responsável por projetos que beneficiam os jovens, como a vinda da UERJ para Petrópolis, as bolsas de ensino superior na UCP e a vacinação contra o HPV, entre outros. Há mais projetos voltados para a juventude petropolitana?

Bernardo Rossi – O jovem petropolitano é engajado nos estudos. Ele precisa é de oportunidade de aprendizado, incluindo a qualificação profissional. Já apresentei indicações na Alerj para o governo do estado dote Petrópolis de um CVT nos distritos, programas de qualificação profissional e central de empregos para pessoas com deficiência, muitas delas jovens e com enorme potencial. Também já apresentei indicação na Alerj para que o governo do Estado amplie o programa Esporte RJ que já tem 11 núcleos na cidade e do projeto “Vem para a quadra!”, de reforma de quadras esportivas já iniciado em cinco comunidades.

Voz da Mosela – É notório o descontentamento do eleitor com a política atual (o número de votos brancos e nulos demonstram bem isso) e a presidente Dilma acena com a reforma política e participação popular. Como o senhor vê esse momento político do País e a necessidade dessas reformas?

Bernardo Rossi – A política tem de mudar porque as pessoas mudaram. Não existe mais espaço para a velha política. Os tempos são outros, os anseios são outros, há maior conscientização da população sobre o que é melhor para a coletividade. As manifestações nas ruas em junho de 2013 são uma lição sobre o que as pessoas querem e esperam da política. A reforma deve ser feita, mas me preocupo com o formato da consulta popular, se por referendo ou plebiscito. Há necessidade de que a população seja abastecida de informações para que, de fato, opine e essa expressão popular deve vir no formato que garanta, realmente, poder de voz.

vozdamosela@outlook.com

Nenhum comentário: