quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Câmara Mirim conscientiza e desperta interesse pela política em estudantes



Alunos de escolas particulares participaram pela primeira vez do “Câmara Mirim” - projeto da Câmara de Vereadores de Petrópolis criado com o objetivo de conscientizar estudantes e contribuir para a formação de uma sociedade mais crítica e atuante. Os 20 alunos, selecionados por meio de redações, passaram o dia no Palácio Amarelo, descobrindo como funciona o legislativo e quais as atribuições dos vereadores. Eles participaram de uma sessão plenária e apresentaram 40 indicações de projetos, que serão encaminhadas ao prefeito. Durante a sessão, à tarde, os “vereadores mirins” elegeram a mesa diretora e cada um dos jovens parlamentares defendeu seus projetos. “Estar aqui era um sonho, é algo que eu sempre quis. Fiquei muito ansioso e estou um pouco nervoso também. Mas está sendo muito bom ver com as coisas funcionam aqui”, conta o estudante Pedro Mesquita, que mora na região do Bonfim , em Corrêas. “Já pensei em seguir a carreira política, pois acredito que esta é uma forma de ajudar a melhorar a vida das pessoas, de fazermos um mundo melhor”, completa a estudante Vida Castella, de 11 anos. As indicações apresentadas pelos "vereadores mirins" mostram que apesar da pouca idade, os estudantes estão atentos aos problemas da cidade. Entre as soluções pedidas estão: a limpeza da cidade, a regularidade na coleta de lixo, saneamento básico, reforma de praças e espaços públicos, reflorestamento, combate aos desmatamentos para construções irregulares, campanhas de conscientização no trânsito, fiscalização ao serviço de reboque, aumento de policiamento para combate ao tráfico de drogas, barateamento da passagem de ônibus e construções de hospitais.

O presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Igor (PMDB), explica que o projeto "Câmara Mirim" tem o objetivo de despertar desde cedo o interesse de estudantes pela política e mostrar como funciona a rotina do legislativo municipal, bem como quais são as atribuições dos parlamentares. “O “vereador mirim” aprende como se desenvolvem as relações entre o poder público e a comunidade. Isto permite que os estudantes entendam qual é o papel do vereador e sua importância para a comunidade. É muito bom ver a motivação das crianças participando deste projeto. É importante que os alunos entendam qual o papel de cada um dos poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) na sociedade. A vivência como “vereador mirim” permite que eles compreendam como os três poderes funcionam na prática. É uma experiência que ajuda a formar cidadãos mais conscientes e críticos”, afirma.

Foram eleitos para compor a mesa diretora, os "vereadores mirins" Gabriel Fliess Esch (presidente), Luiz Guilherme Duarte (1º vice presidente), Gabriel Caetano Rocha (2º vice presidente), Ana Carolina Noel dos Santos (1ª secretária) e Frederico Esch (2º secretário). Os projetos defendidos pelos “vereadores mirins” foram elaborados com base nas redações apresentadas por cada um dos alunos. Os textos apontaram os problemas observados pelos estudantes nos bairros em que eles vivem. “Esta experiência é muito interessante e enriquecedora para as crianças. Daqui a alguns anos, um deles pode se tornar de fato vereador. Esta vivência é bacana não só pelo que eles aprendem sobre o trabalho dos parlamentares, mas também porque para fazer as redações eles precisaram observar o bairro em que moram e descobrem problemas sobre os quais não conversamos com eles no dia a dia”, conta Vanessa Gonçalvez, mãe do estudante Marcelo, de 11 anos. “Eu vi que muitas casas em meu bairro não tem tratamento de esgoto, percebi que a coleta de lixo é muito ruim, porque há vários dias em que o lixo fica acumulado.Existem pessoas que acham o mundo uma maravilha, mas ainda tem muitas coisas que precisam ser melhoradas”, diz Marcelo.


“Fiquei muito interessado em participar porque eu já pensei sobre ser um vereador. Acho que um vereador precisa trabalhar para ajudar a melhorar a saúde, as escolas, o salário dos professores, precisa melhorar a cidade e a vida das pessoas”, explica o estudante João Pedro Cordeiro dos Santos, de 10 anos.

Orgulhosos pelo desempenho dos filhos, pais consideram importante que as crianças entendam desde cedo quais as atribuições dos poderes constituídos. “Este projeto preenche uma lacuna, uma vez que hoje, as escolas não têm mais a disciplina Organização Social e Política Brasileira (OSPB). No Câmara Mirim as crianças recebem orientações sobre isso. Vemos que muitas pessoas não sabem, por exemplo, que a função de um vereador é criar leis e fiscalizar o trabalho do prefeito. Um vereador não tem o poder de asfaltar uma rua, mas que ele deve encaminhar esta demanda ao executivo e cobrar que isso seja feito. Além da vivência que as crianças têm aqui, o projeto incentiva a discussão desse assunto em casa”, conta o funcionário público Leandro Costa, pai da estudante Maria Gabriela Martins da Costa.

“É muito bom vê-los participando aqui. Estou muito orgulhoso por ver que meu filho teve a redação selecionada e hoje está aqui participando”, avalia o comerciante Fábio Hang, pai do estudante Gabriel.

Em sua 20ª edição - a primeira para alunos da rede particular - o projeto recebeu alunos dos Colégios Cenecista de Pedro do Rio, Aplicação/ UCP, Vicentino Santa Isabel, e UNICRIANÇA, além de estudantes da Escola SESI e da Cooperativa São Judas Tadeu.
“Desde muito cedo as crianças aprendem a colocar suas opiniões na família, na escola e nos ambientes que elas freqüentam. É importante que elas tenham essa vivência na política para que possam saber também como se manifestar sobre este assunto. A observação dos problemas na comunidade em que elas moram também foi importante. O projeto está dando a oportunidade a estes alunos de se sentirem incluídos na comunidade e na política. Eles estão sendo ouvidos e se sentem participando da vida da cidade”, diz a coordenadora geral do Colégio Cenecista de Pedro do Rio, Tânia Maltez

“A experiência de edições anteriores mostra que os estudantes saem motivados a inovar e transformar politicamente a realidade. Mais do que abrir espaço para que os alunos apresentem idéias, a intenção do projeto é formar cidadãos conscientes, capazes de desenvolver uma visão critica da política. Se desde cedo os jovens são incentivados a se inteirar da política, mais tarde eles desenvolvem uma visão mais apurada e se tornam mais participativos. O “Câmara Mirim” vem contribuindo para a construção da cidadania dos jovens petropolitanos.”, pontua Paulo Igor.

O "Câmara Mirim" foi criado em 2001, sendo a primeira edição aberta a alunos da rede particular de ensino. Participaram do projeto os alunos Ana Carolina Noel dos Santos, Ana Júlia Ferreira, Bianca de Castro, Frederico Esch Pereira, Gabriel Caetano Rocha, Gabriel Fliess Esch, Hugo Pitersen Gomes Correa, João Pedro Cordeiro dos Santos, Layla de Sousa e Oliveira, Luiz Guilherme Duarte, Luiza Ferreira Defavere, Luiza Silva Ázara, Marcelo Gonçalves Carius, Maria Eduarda Sallles de Araújo, Maria Gabriela Martins da Costa, Mariana Damasceno Godoy, Pedro Henrique Mesquita Ferreira, Rafaela Nascimento dos Reis, Vida Castella F. Alves Garrido e Vitor Isac de Alcântara Gomes.

Nenhum comentário: