Bernardo Rossi assume a Secretaria de Estado de Habitação



Deputado estadual reeleito, Bernardo Rossi (PMDB) assume em janeiro a Secretaria de Estado de Habitação a convite do governador Luiz Fernando Pezão. O anúncio foi feito pelo governador na manhã deste domingo (21.12). “Um desafio grande, mas uma honra fazer parte de um governo que tirou o estado da estagnação econômica e fez o Rio voltar a se desenvolver”, afirma o petropolitano.
Bernardo toma posse pela primeira vez em um cargo do poder executivo.  Aos 34 anos, duas vezes vereador em Petrópolis - uma delas como presidente da Câmara - eleito deputado estadual em 2010 e reeleito este ano, Bernardo considera que o órgão, dirigido nos últimos anos por Leonardo Picciani e Rafael Picciani, já é referência no país.

“O estado passou décadas sem uma política habitacional que foi retomada pelo governador Sérgio Cabral.  Muito se avançou com Rafael e Leonardo à frente da pasta e minha meta é dar continuidade  ao trabalho da secretaria consolidando a habitação popular em um dos programas mais importantes para o estado”, anuncia.  O petropolitano acredita estar em consonância com a meta do governador para ter sido escolhido como secretário: “assim como Pezão, defendo o interior do estado. É no interior que está a força do Rio e para o estado crescer, as cidades precisam crescer e a habitação é fundamental como política de desenvolvimento humano”.

A Secretaria tem na Companhia Estadual de Habitação (Cehab) e no Instituto de Terras e Cartografia do Estado do Rio de Janeiro (Iterj) seus principais braços operacionais, além dela própria executar projetos e programas, todos integrados ao Plano Estadual de Habitação, que orienta as ações do governo estadual para os próximos 15 anos.

Entre os programas, destacam-se o “De Cara Nova”, executado pela Cehab e que já investiu, desde 2009, R$ 235 milhões em reforma de 120 conjuntos habitacionais no estado beneficiando mais de 370 mil famílias. A Cehab também é responsável pela construção de habitações populares com recursos do estado que, em sete anos, construiu 6.212 novas residências e tem a previsão de entregar mais mil unidades nos próximos meses.

Já o Iterj atua em 900 comunidades com o programa “Nossa Terra”. Trata-se do reconhecimento de que famílias de renda mais baixa, consolidadas há décadas em comunidades urbanas e rurais, têm o direito de posse e propriedade das casas que construíram. Desde 2009, são mais de 60 mil famílias beneficiadas.  Nas áreas rurais – 25 assentamentos -  e em dois quilombolas, o  Iterj atua com apoio técnico e cessão de equipamentos, investimento que já ultrapassa R$ 40 milhões.

 No âmbito do programa federal Minha Casa, Minha Vida, cujos contratos são assinados diretamente entre as prefeituras e o Ministério das Cidades, cabe à secretaria fomentar a parceria. Além de garantir auxílio técnico na elaboração dos projetos quando solicitada pelas prefeituras, a SEH também garante a contrapartida financeira das propostas. O governo do estado garante, então, obras de infraestrutura (como pavimentação, instalação de rede coletora de esgoto).  No estado, o investimento total é de R$ 13,9 bilhões, com 200.142 unidades contratadas e, destas,  66.957 entregues.

Bernardo se licencia do cargo de deputado estadual
e vai defender investimentos em habitação na Região Serrana

Maior votação obtida por um deputado em Petrópolis com 56.806 votos na eleição deste ano, Bernardo Rossi ocupará um cargo no governo do estado, mas com atenção voltada para Petrópolis e para a Região Serrana. “Muitos projetos de meu primeiro mandato como deputado estadual ainda serão votados e farão a diferença para Petrópolis e municípios da região. Meu compromisso continua sendo com minha cidade e com minha região e acredito que, como secretário, poderei contribuir muito para uma das áreas mais carentes em Petrópolis e cidades serranas que é a habitação popular”, afirma.
Na Região Serrana, no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida, Bernardo acredita que a secretaria possa dar celeridade aos processos entre as prefeituras e o governo federal. “Também iremos buscar meios de o estado, com recursos próprios, construir mais moradias populares”, afirma Bernardo Rossi.


Via Ascom