Entrevista com Fernanda Ferreira, Secretária de Trabalho, Assistência Social e Cidadania



Fernanda Ferreira, 31 anos, jornalista, assumiu a SETRAC em 12 de maio de 2014 no lugar do ex-vereador, hoje Secretário de Habitação, Jorge Maia (Bolão). Estudou na extinta Escola Municipal André Rebouças, onde liderava os movimentos internos para benefício dos colegas. Formou-se em Contabilidade pelo Liceu Municipal Prefeito Cordolino Ambrósio, por uma determinação da família, que atua no segmento em Petrópolis, vislumbrando um futuro certo para Fernanda, que, na verdade, sempre quis ser professora. Após formada, decidiu, então, ingressar na Faculdade de Comunicação Social, participando da segunda turma da Estácio de Sá em Petrópolis.

Foi titular da Coluna Diário de Mulher, do Diário de Petrópolis, após voos maiores da colega Marise Simões, que antes assinava a página. Também assinou a coluna Diário em Ação, divulgando as atividades de instituições filantrópicas de Petrópolis. Seu grande incentivador na carreira foi o amigo e jornalista Marin de Toledo Melquíades (in memoriam). Fernanda Ferreira ainda assessorou alguns políticos da Baixada Fluminense e foi relações-públicas da Rede de Drogarias Descontão, liderando cerca de 2.500 funcionários. Durante anos também foi assistente de Diretoria no Grupo Goldman. A mais recente atuação foi à frente da Comissão Municipal de Atuação Comunitária de Petrópolis -COMAC, quando segundo Fernanda, com muito afinco e amor, transformou a realidade da instituição.

A convite do prefeito Rubens Bomtempo e da primeira-dama, Luciane Bomtempo, em 2013 passou a fazer parte da equipe, sendo assistente especial de Gabinete, depois subsecretária-chefe de Gabinete e, em maio, assumiu a Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania - SETRAC.

Por Fernanda: O amor pelo próximo e a possibilidade de modificar a vida das pessoas pelo resgate da dignidade, dão forças para seguir em frente.

BLOG: Qual o papel da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania?

Fernanda – Prover a garantia de direitos de todos os cidadãos que residem em nossa cidade, sobretudo dos grupos mais vulneráveis – crianças e adolescentes, idosos, mulheres vítimas de violência doméstica e pessoas com deficiência. A SETRAC precisa desenvolver o papel social não somente como preconiza as Leis e Portarias, mas não medir esforços para que o direito do ser humano seja garantido.

BLOG: Como funciona a relação da SETRAC com o Conselho Tutelar?

Fernanda – Nós atuamos em rede. O Conselho Tutelar demandas ações para os CRAS e CREAS. É um trabalho conjunto. Recebemos a prefeitura com todos os equipamentos da SETRAC fechados, incluindo a falta de equipe técnica nos Conselhos Tutelares e hoje, após muito esforço e gestão, conseguimos disponibilizar equipe técnicas para ambos os Conselhos Tutelares.

BLOG: O combate à violência infantil e juvenil de uma forma geral ainda é um desafio? Por quê? 

Fernanda – O Brasil todo esteve voltado a este assunto no mês de maio, como acontece todo ano, que no dia 18 de maio são realizadas ações de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Mas por determinação do Prefeito Rubens Bomtempo, a nossa Campanha, intitulada – Tenha Atitude – terminará o primeiro ciclo somente em dezembro. 

Todos os meses, no dia 18, o município, pelo Governo Municipal, desenvolve ações alusivas à data: tivemos a abertura da Campanha no Palácio de Cristal, no dia 15 de maio, em junho, foi realizado um grande Seminário na FASE, tratando das ações estratégicas do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, em julho governo, Conselho Municipal dos direitos da Criança e do Adolescente, além do Conselho Tutelar do Centro, realizaram uma grande ação na Praça Dom Pedro, panfletando toda a Rua do Imperador, em agosto, toda a SETRAC esteve mobilizada desenvolvendo ações de conscientizações, em setembro tivemos a capacitação dos profissionais da Educação que atuam nos Centros de Educação Infantil, em setembro tivemos a capacitação voltada aos profissionais da Educação que atuam no Ensino Fundamental, e em outubro a SETRAC novamente se mobilizou, mas desta vez dentro das Comunidades, realizando palestras de sensibilização. 

Saliento que todas as ações que envolvam crianças e adolescentes são acompanhadas e monitoradas diretamente pela Secretária Chefe de Gabinete, Primeira-Dama e Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Luciane Bomtempo, que dá todo o direcionamento social das ações, por acompanhar de perto a execução das políticas públicas voltadas a este segmento.

BLOG: Como a SETRAC participa do combate à violência contra a mulher? Existe algum suporte do município para mulheres vítimas desse tipo de violência?

Fernanda – A SETRAC atua em parceria, em rede. E o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, também presidido pela Luciane Bomtempo, é um dos conselhos que mais atua no Município, tendo realizado a I e a II Semana Municipal de Combate à Violência Domestica e Familiar contra a Mulher, realizadas em 2013 e 2014. Foi também pelo Conselho da Mulher, que o Brasil montou uma grande ação contra 1.253, de 12 de novembro de 2013, que reduzia o acesso das mulheres ao exame de mamografia, que detecta precocemente o câncer de mama.

Também criou por lei o Dia Municipal do Laço Branco, uma ação dos homens contra a violência doméstica e familiares contra as mulheres. Realizamos também a I Semana de Conscientização sobre a Doença Falciforme, um tema tão presente no dia a dia de muitos petropolitanos, mas que ainda não havia sido discutido pela Gestão Municipal, com isso, conseguimos trazer para o nosso Instituto da Mulher, da Criança e do Adolescente (Centro de Saúde) o atendimento de rastreamento e de atenção básica para os pacientes da doença, que até então tinha que se deslocar ao Hemorio.

Também trouxemos para o âmbito do COMDIM o acesso integral da mulher ao exame de mamografia e inclusive desencaixotamos o mamógrafo que estava na caixa desde 2010, no Hospital Alcides Carneiro e talvez esta seja uma das  maiores violência  contra a mulher: deixá-la morrer por falta de acesso a uma mamografia, cujo aparelho estava encaixotado. Falamos também sobre o novo reordenamento dos Centros de Educação Infantil, que possibilitou centenas de novas vagas, possibilitando assim a mulher ingressar ou reingressar no mercado de trabalho, deixando assim, de ser vítima de violência doméstica.

Ainda tratamos do acesso à escolarização e ao mercado de trabalho, também prevenção à independência da mulher. E também, além das ações do COMDIM, o CRAM – Centro de Referência de Atendimento à Mulher, equipamento que desenvolve esta política de garantia de direitos, que está ligado ao Gabinete do Prefeito, presta atenção integral à mulher vítima de violência, atuando em rede como Estado.

BLOG: Qual é o papel da SETRAC no acolhimento e orientação de idosos que sofrem violência ou são vítimas de abandono?

Fernanda – A SETRAC é divida em dois departamentos de proteção social, o da Proteção Básica e o da Especial. A Básica atua com os CRAS e a Especial com o CREAS, Núcleo de Integração Social e com as Casas de Acolhida. No caso de violência, seja contra o idoso, contra a pessoa com deficiência, ou ainda contra crianças e adolescentes, o atendimento é realizado no CREAS, cujo relatório social é encaminhado à Promotoria de Justiça, que é o órgão responsável pela investigação. 

Vale salientar que em junho o Governo Municipal, em parceria com o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, do qual sou presidente, desenvolveu diversas atividades no mês em que é comemorado o Enfrentamento à Violência contra da Pessoa Idosa, que culminou com uma linda caminhada da Catedral São Pedro de Alcântara até a Praça da Liberdade. 

Em outubro, quando é comemorado o dia da Pessoa Idosa, realizamos uma semana inteira de atividades para a pessoa idosa, que iniciou com um Baile em Pedro do Rio, passando por palestras no Museu Imperial sobre a Sexualidade na Terceira Idade, Violência Financeira e esclarecimentos de dúvidas em relação ao INSS, foi realizada também uma sensibilização com os rodoviários e ainda, um dia repleto de alegria no Terra Santa. É preciso destacar que o Governo Municipal está instalando diversas Academias da Terceira Idade, com o objetivo de mostrar a este idoso que há uma vida para ele viver e que esta seja vivida de forma alegre e saudável.

BLOG: Quais são os principais programas sociais de transferência de renda hoje em Petrópolis? 

Fernanda – Temos o Bolsa Família, o Renda Jovem, o Renda Melhor Jovem, o Cartão Imperial e também o Auxílio Aluguel

BLOG: Como funciona a seleção das famílias?

Fernanda – Depende de cada programa, mas a prioridade é para aqueles que vivem em grande vulnerabilidade social.

BLOG: Existe um acompanhamento e/ou um trabalho para que essas famílias possam não depender mais desses programas sociais? 

Fernanda – Estamos desenvolvendo programas, projetos e serviços que possam dar a real dignidade ao cidadão, que trata diretamente da reinserção no mercado de trabalho.

BLOG: Qual a política da SETRAC em relação aos moradores de rua? Como funciona o acolhimento e o que pode ser feito para que essas pessoas não voltem às ruas? 

Fernanda – O tema pessoas em situação de rua dá um seminário, pois há um grande preconceito com estas pessoas e muitos acham que são mendigos e se esquecem que são seres humanos e como eu e você, merecem total atenção e carinho. Temos um serviço de abordagem às pessoas em situação de rua, que funciona de domingo a domingo, do Quitandinha a Posse. É importante destacar que nem toda pessoa que está na rua, está em situação de rua. 

A maior conquista das pessoas que realmente estão em situação de rua, ou seja, que tiveram os vínculos familiares rompidos e que precisam de acolhimento foi a maior obra de Revitalização do Núcleo de Integração Social, cuja inauguração aconteceu na sexta-feira, com a presença do Prefeito Rubens Bomtempo. 

As obras passam a proporcionar, além da parte estrutural, que são os telhados, pinturas, adaptações, proporcionam a dignidade, pois a partir de agora os quartos acomodam somente até quatro usuários, garantindo a individualidade e foi entregue uma agradável sala de convivência, onde poderão trocar os saberes da vida. Destacamos ainda a Oficina de Reciclagem de Papel, através da qual, grupos estão sendo formados para o fomento à Economia Solidária. 

BLOG: Qual é em sua opinião o maior desafio a frente da SETRAC?

Fernanda – O maior desafio é mostrar a cada usuário dos nossos serviços que dentro da nossa Secretaria batem alguns corações esperançosos de um Brasil mais justo, onde as oportunidades sejam iguais para todos. Que todos somos seres humanos e que todos, cada um na sua etnia, credo e escolhas somos iguais. E que nós fazemos a diferença porque fazemos com amor.


Comentários